O juiz Sérgio Moro agora, mais do que nunca, é o político Sérgio Moro

Crédito: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Qual Sérgio Moro você prefere?

O juiz federal que em 2017, nos Estados Unidos, disse em uma palestra para alunos da famosa universidade de Harvard que Caixa 2 é pior que corrupção (leia aqui)

Ou o político de hoje que cedeu às pressões e fatiou o “projeto Anti-Crime a pedido dos parlamentares.

Disse agora há pouco Sérgio Moro: “Caixa 2 não é corrupção. Existe o crime de corrupção e o crime de caixa 2. Os dois crimes são graves”. Leia mais

“Houve reclamações por parte de agentes políticos de que o caixa 2 é um crime grave, mas não tem a mesma gravidade de corrupção, crime organizado e crimes violentos. Então, nós acabamos optando por colocar a criminalização num projeto à parte mas que está sendo encaminhado neste momento. Foi o governo ouvindo as reclamações razoáveis dos parlamentares quanto a esse ponto e simplesmente adotando uma estratégia diferente. Mas os projetos serão apresentados ao mesmo tempo”, comentou o ministro.

7 comentários em “O juiz Sérgio Moro agora, mais do que nunca, é o político Sérgio Moro

  • 19/02/2019, 17:50 em 17:50
    Permalink

    Moro só era juiz na hora de julgar petista culpado e receber auxílio moradia. No resto do tempo, ele militava no PLJ (Partido Lava Jato) que acabou se compondo com o PB (Partido dos Bolsonaros).

    Resposta
  • 20/02/2019, 09:10 em 09:10
    Permalink

    Teu ódio pelo Bolsonaro está fazendo seu raciocínio ser simplista, Seu Paçoca. São, obviamente, funções diferentes. E em não sendo uma ditadura a negociação política é parte do jogo. Você sabe muito bem disso. Ou queria que Moro e Bolsonaro IMPUSESSEM uma lei? Não seria ditadura?

    Resposta
  • 20/02/2019, 10:02 em 10:02
    Permalink

    Achar que o Bolsonaro e a equipe dele vão conseguir fazer uma verdadeira revolução e quebrar uma máquina que tem bancado vida de rei por gerações de políticos em um mês, ou mesmo um mandato, é inocência. E apontar o dedo e dizer “eu não falei?” é má fé.

    Infelizmente na política brasileira existe o ideal e o possível, e tudo que for proposto, terá de ser negociado com o congresso. Torço para que a equipe do Bolsonaro encontre um ponto de equilíbrio; mandar um projeto duro demais é negativa automática, mas independente do quão amolecido ele seja antes de ser mandado pra mesa, vão querer amolecer ele mais ainda, e fazer isso pode gerar um novo fracasso como o das dez medidas contra a corrupção.

    Os primeiros passos estão sendo dados, mesmo com a mídia sabotando abertamente o governo. Torço para que superem isso e seja um bom governo; mas se conseguirem derrubar o Bolsonaro na paulada, bom, que botem um petista ou um tucano velho tipo o Alckmin lá em cima de novo. Assim eles “azeitam” as engrenagens, volta o patrocínio estatal pesado para jornais e revistas, sossegando a imprensa, e todo mundo pode fingir que está tudo bem de novo.

    Resposta
  • 20/02/2019, 18:07 em 18:07
    Permalink

    Até você caindo nessa mixórdia??? Precisa desenhar?

    Resposta
  • 20/02/2019, 20:17 em 20:17
    Permalink

    Sobre o “JUIZ” Sérgio Moro se transformar em “POLITICO”., faça o seguinte senhor Paçoca: se olhe no espelho hoje, veja e tente se reconhecer como jornalista hoje e em período de eleições atuando como assessor de imprensa.

    Resposta
  • 21/02/2019, 00:33 em 00:33
    Permalink

    O Moro tem duas fases: a do juiz marqueteiro quando vendia seu peixe afirmando que caixa 2 era pior que corrupção. Depois que passou a conviver com políticos do nível do ministro Onyx, aí o ex-juiz passou a dizer que caixa 2 não é mais corrupção e quem pratica o caixa 2 durante eleição até merece perdão se pedi-la. Moro não é só político, é o pior tipo de político.

    Resposta
    • 21/02/2019, 18:07 em 18:07
      Permalink

      “Eu de vez em quando falo que as pessoas achincalham muito a política, mas a posição mais honesta é a do político, sabe por quê? Por que todo ano, por mais ladrão que ele seja, ele tem que ir pra rua encarar o povo e pedir voto. O concursado não. Se forma na universidade, faz um concurso e tá com um emprego garantido para o resto da vida”
      Luis Inacio Lula da Silva, detento cumprindo pena em Curitiba.

      Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: