Tempos de Cigarro Sem Filtro: A Ditadura Militar sob a ótica de pessoas comuns, das periferias das cidades

Tempos de Cigarro Sem Filtro, primeiro romance do jornalista José Maschio, retrata o Brasil da década de 1970. O período sombrio da ditadura militar aparece através dos olhos de pessoas humildes, cidadãos simples levando suas vidas simples na periferia das cidades.

Em Tempos de Cigarro Sem Filtro, José Maschio, com sua longa experiência como repórter, narra a história de Jaso e Maria, um casal unidos pela miséria. Vivem na periferia de uma típica cidade brasileira dividida por desigualdades sociais e econômicas. Jaso é um peão para qualquer trabalho braçal, Maria uma lavadeira de roupas.

Veja e compartilhe a entrevista exclusiva do autor ao blog:

O lançamento do livro acontee hoje às 19h30 no Sesc Cadeião, em Londrina.

O preço do livro é bem camarada: R$ 30,00

6 comentários em “Tempos de Cigarro Sem Filtro: A Ditadura Militar sob a ótica de pessoas comuns, das periferias das cidades

    • 22/08/2017, 16:36 em 16:36
      Permalink

      Caramba! Preciso ler o livro do Ustra. Ouvi dizer que ele era um corajoso da porra! Quando o preso político estava enjaulado, pendurado no pau de arara, sem arma, sem nada nas mãos, esse Ustra enfrentava o cara com toda a coragem do mundo. Todo mundo sabe que é preciso muita coragem para enfrentar qualquer preso que levou tanta porrada que mal consegue respirar. E se o preso fosse mulher, a coragem do Ustra crescia ainda mais. E se a presa tivesse uns 18 anos, aí a coragem do Ustra explodia. Todo mundo sabe que uma presa política torturada de 18 anos representava um grande risco para o torturador. Só com a coragem do Ustra para enfrentá-la. Mas, por ora, vou ficar com o livro do jornalista José Maschio.

      Resposta
  • 22/08/2017, 18:29 em 18:29
    Permalink

    Essa é a pior fumada que existe e que está sendo preparada para os funcionários da SERCOMTEL, que dedicaram sua vida a essa empresa. Conhecida como a galinha dos ovos de ouro, que na verdade estava mais para “CABIDE DE EMPREGOS DE OURO”, pelo menos nos últimos 25 anos.

    Resposta
  • 23/08/2017, 08:03 em 08:03
    Permalink

    Pois é Décio, iria te sugerir um excelente livro de Olavo de Carvalho….”O mínimo que você precisa saber para não ser idiota”, mas pelo jeito você prefere adquirir conhecimento por terceiros, de ouvir falar, ainda que muitos deles tenham sido presos no passado, no presente e com certeza, o serão em futuro bem próximo, assim sendo, boas opção para seu caso, continuam sendo O Pequeno Príncipe, O gato de Botas, Cinderela, A Pequena Sereia…….
    Continue sendo deixando que terceiros formem sua opinião, vocês são a nossa alegria da internet.

    Resposta
    • 23/08/2017, 21:02 em 21:02
      Permalink

      O Genildo pelo menos entendeu minha ironia. Mas é interessante como o Genildo condena quem adquire conhecimento através de terceiros mas ele mesmo vem indicar uma subcelebridade da direita brasileira: Olavo de Carvalho. Pensei que o Genildo desenvolvesse seu próprio conhecimento sem contribuição de terceiros. Quem quiser conhecer o Ustra e o mundo diabólico dos torturadores deve ler o livro Brasil: Nunca Mais. A elaboração desse livro foi coordenada pelos insuspeitos Dom Paulo Evaristo Arns, pelo rabino Henry Sobel e pelo reverendo Jaime Wright da Igreja Presbiteriana. O Genildo deveria saber também, antes de vir defender torturador, que militares que na guerra praticam torturas contra presos são expulsos da corporação e presos. Basta que sua força militar respeite as Convenções de Genebra de 1949 e os Protocolos Adicionais de 1977. Tudo bem que um militar torturador, nos anos 70, não previsse os Protocolos de 1977 mas ele deveria conhecer as Convenções de Genebra. Nos países democráticos e ci-vi-li-za-dos, gente como o Ustra teria pagado pelo crime de tortura na ca-dei-a!!!

      Resposta
  • 25/08/2017, 20:26 em 20:26
    Permalink

    Todo brasileiro que defende a ditadura dos generais insubordinados, desculpem-me a sinceridade, são pessoas ignorantes sobre vários aspectos. Um deles, muito fácil de ser percebido, é sobre a desculpa de que o Brasil estivesse correndo o risco de ser transformado numa grande ditadura como a de Cuba e isso oprimiria o povo brasileiro. É fácil vermos que isso não passou de ilação e a grande verdade pode ser vista no fato de que o povo brasileiro foi oprimido pelos generais e os EEUU não usaram contra o regime dos generais as mesmas medidas que usaram contra o regime imposto em Cuba. A grande diferença entre os regimes impostos aos dois países foi que o cubano deixou de favorecer os interesses norte-americanos, enquanto o brasileiro atendeu todos os interesses deles. Vejam que hoje em dia está acontecendo exatamente a mesmíssima coisa com o regime da Venezuela e do Brasil. Se os dois oprimem seus povos, por que os norte- americanos só estão ameaçando fazer restrições ao governo venezuelano? Será que eles gostam mais do povo venezuelano que do povo brasileiro? Não é preciso ser inteligente para perceber que o motivo é a insubmissão do governo da Venezuela e a submissão do governo do Brazil aos interesses imperialistas. Não fiquem chateados pensando que os norte-americanos gostem mais dos venezuelanos do que de nós, pois eles querem é de fato que nossos governantes sejam sempre submissos aos seus interesses e que os nossos interesses que se danem. God save America! The rest will screw up.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: