A volta do discurso da cloroquina

O impasse relacionado à hidroxicloroquina divide o novo ministro da Saúde, Nelson Teich e o presidente Jair Bolsonaro, assemelhando-se ao que acontecia entre o presidente e o ex-ministro da pasta Luiz Henrique Mandetta.

Ontem Bolsonaro voltou a insistir no uso da hidroxicloroquina já no início dos tratamentos. Porém, Nelson Teich tem defendido que o medicamento não tem eficiência comprovada e que pode causar riscos se usado de maneira indiscriminada.
Na terça, ele fez “um alerta importante” nas redes sociais. “A cloroquina é um medicamento com efeitos colaterais. Então, qualquer prescrição deve ser feita com base em avaliação médica. O paciente deve entender os riscos e assinar o ‘Termo de Consentimento’ antes de iniciar o uso”.

Teich, obviamente, passou a sofrer ataques de bolsonaristas. A claque de internautas do presidente após a publicação, não tem dado sossego.

Também vai ser demitido?

 

Deixe uma resposta