Clube abandonado, presidido pelo vice de Ibiporã, é local de festa para os mosquistos da dengue

E a polêmica anda atropelando o vice-prefeito de Ibiporã, Beto Bacarin, que já foi até responsável regional pelo Instituto Ambiental do Paraná. E o calo é exatamente o meio ambiente.

Explico: bem no centro da Ibiporã está localizado o Clube SERI, famoso na cidade. O problema é que ele está abandonado há pelo menos 15 anos. O presidente do clube é exatamente o vice Bacarin.

As duas piscinas estão cheias com uma água esverdeada e suja, local ideal para o famoso aedes aegypti, transmissor da dengue.

Moradores do entorno há anos cobram providências e nunca nada foi feito. Desde o o início do mandato do prefeito João Coloniezi, a cobrança aumentou. Houve crescimento do número de casos de dengue naquela região.
Coloniezi anda fingindo que não é com ele. Mas é seu problema sim e do seu vice.

2 comentários em “Clube abandonado, presidido pelo vice de Ibiporã, é local de festa para os mosquistos da dengue

  • 28/03/2018, 12:10 em 12:10
    Permalink

    IAP sempre ele.
    E o Ministerio Público misterioso? Nada?

    Resposta
  • 29/03/2018, 22:33 em 22:33
    Permalink

    Cládio meu amigo boa noite. Peço licença para colocar algumas questões. O SERI tem uma diretoria que está cuidando do clube da seguinte maneira.
    1. Entreguei a presidência antes das eleições em 2016 mas existem associados que continuam com a diretoria atual.
    2. Naquela piscina existe dispositivo que não permite a criação de larvas de pernilongos ou dengue, todo mês a vigilância sanitária faz vistoria e nos últimos 5 anos nunca foi encontrado foco.
    3. Segundo me informaram os diretores a capina e limpeza é feita a cada 3 meses, sendo que a última foi feita em dezembro e a próxima deverá ser feita no início do próximo mês.
    4. No final de 2016 foi feito além da limpeza também pintura em algumas partes do clube.
    5. No início de 2015, os associados em assembléia aprovaram que a diretoria iniciasse negociação com investidores para venda da seguinte maneira: escolheríamos um lugar apropriado, os investidores comprariam aquela propriedade e construiriam um novo clube de acordo com projeto previamente aprovado pelos associados e com o mesmo valor da área atual do SERI, desta maneira não seria uma venda mas uma troca, e ao final após vistoria e aprovação dos associados, então as trocas de matrículas seriam feitas, e naquele local seria construído uma área comercial tipo shopping center. Porém fomos surpreendidos com um Decreto Municipal do ex-prefeito José Maria, decretando aquela área como utilidade pública, o que impossibilitou esta operação de troca (por favor nenhuma crítica ao ex-prefeito apenas uma informação, pois ele tinha planos para aquela região).
    6. A situação atual que os atuais diretores estão verificando com seus advogados é a respeito deste Decreto, para que possam direcionar os próximos passos dentro da legalidade. 7. O vereador deveria antes de tecer comentários e induzir pessoas a conclusões, ter procurado membros da diretoria para receber informações.
    8. Finalmente quero dizer, e vocês que me conhecem sabem que estou sendo sincero, que fiquei comovido e emocionado com as preocupações de todos, demonstrações de amor àquele patrimônio, oferecimento de ajuda e dizer a vocês que, quando vou lá, também relembro daquela época, pois foi lá que conheci minha esposa, tive momentos maravilhosos e que fui vice-campeão paranaense de natação. Espero que dentro de pouco tempo a diretoria consiga avançar para que aquele espaço venha a ser utilizado de maneira digna por tudo que representou.
    Grande abraço e Feliz Páscoa a todos.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: