Colaboradora “informal” da Lava Jato pode melar provas da Operação

do Diário do Poder

A contadora Meire Poza, condenada na Lava Jato por lavagem de dinheiro, protocolou na Justiça documentos que comprovariam que ela era uma espécie de informante da Polícia Federal sobre outros acusados e que tinha acesso a informações sigilosas da operação.
O fato de ser uma colaboradora informal, sem ter assinado acordo de delação, pode levar a questionamentos sobre a legalidade da sua atuação e das provas obtidas com sua ajuda, segundo advogados.
Meire assessorou o doleiro Alberto Youssef antes de ele ser preso e foi denunciada por viabilizar o repasse de R$ 2,3 milhões em propina ao ex-deputado André Vargas.
Vargas usou sua influência para que a Caixa Econômica Federal contratasse uma empresa ligada a Youssef.
Em agosto, o juiz federal Sergio Moro, futuro ministro da Justiça do governo Jair Bolsonaro, condenou Meire a 2 anos e 3 meses de prestação de serviços comunitários e multa. O juiz levou em conta a colaboração da contadora como atenuante.
A Procuradoria, porém, recorreu da decisão pedindo o endurecimento da pena e colocou em dúvida a efetividade da ajuda da contadora.
A defesa de Meire juntou aos autos as conversas que ela mantinha no celular com os delegados Márcio Anselmo e Eduardo Mauat, os agentes federais Rodrigo Prado Pereira e outro identificado apenas como “Gabriel PF” e o procurador da República Andrey Borges, todos com atuação na Lava Jato.
Nas mensagens, Anselmo surge como um dos principais interlocutores. Ele solicitava informações sobre empresas e personagens ligados a Youssef. Pelo WhatsApp ela fornecia dados como registros de transferências entre empresas e até o modelo do carro de uma amante do doleiro. (leia mais)

2 comentários em “Colaboradora “informal” da Lava Jato pode melar provas da Operação

  • 12/11/2018, 13:21 em 13:21
    Permalink

    Já sei o final da história. Ilegalidades cancelaram a Operação Satiagraha e livraram a cara do Daniel Dantas. DO DANIEL DANTAS! Possíveis ilegalidades cometidas pra prender petistas e aliados, bem… estas não vêm ao caso! Dependendo da situação, o exército se encarrega de cercar o STF…

    Resposta
  • 12/11/2018, 19:12 em 19:12
    Permalink

    agora ja era …..mete este povo na cadeia e joguem a chave fora.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: