Comércio de Rolândia também reabre na segunda

O Prefeito Doutor Francisconi assinou na tarde desta sexta-feira, o Decreto Municipal nº 105 que permite a ABERTURA CONTROLADA DO COMÉRCIO DE ROLÂNDIA.

O Decreto traz diversas orientações e regras e pode ser conferido (CLIQUE AQUI).

DECRETA:

Art. 1º – Fica determinada a abertura controlada do comércio de Rolândia, com os cuidados e higienização abaixo descritos, que são entendidos a partir deste decreto como obrigatórios para a população, estabelecimentos, instituições e entidades do Município de Rolândia, dentro das seguintes limitações procedimentos, sendo de obrigação e responsabilidade dos proprietários e responsáveis por estabelecimentos comerciais de qualquer natureza os cuidados abaixo descritos, podendo ser penalizados através da multa que consta do art. 3º deste Decreto, além da informação à 3ª Promotoria de Justiça de Rolândia:

a) ÁLCOOL EM GEL: o estabelecimento obrigatoriamente deverá fornecer álcool em

gel na entrada de clientes às suas instalações, e determinará ao cliente que esfregue as mãos, e se não respeitada à determinação o estabelecimento comercial não poderá permitir a entrada em suas instalações;

b) MEDIÇÃO DA TEMPERATURA: o estabelecimento preferencialmente procederá à

medição da temperatura de cada cliente antes de adentrar ao estabelecimento (se for

constatado temperatura igual ou superior a 37,8º, não poderá permitir a entrada em suas

instalações;

c) DISTANCIAMENTO MÍNIMO DE 2 (DOIS) METROS COM SINALIZAÇÃO

HORIZONTAL: o estabelecimento obrigatoriamente deverá manter a organização de filas

com distanciamento mínimo de 2 (dois) metros entre uma pessoa e outra, com sinalização

horizontal para o efetivo distanciamento, fazendo uso de pelo menos um funcionário para

organizar o referido espaçamento mínimo entre pessoas, o que deve acontecer dentro e fora do estabelecimento, para evitar a aglomeração de pessoas e contato entre elas;

d) HIGIENIZAÇÃO DAS PORTAS E DEMAIS COMPONENTES DO

ESTABELECIMENTO: o estabelecimento obrigatoriamente deverá manter continua e

permanente higienização das portas e maçanetas do estabelecimento e de teclados;

e) USO DE MÁSCARAS POR TODOS OS FUNCIONÁRIOS E A COLOCAÇÃO

DE BARREIRA TRANSLÚCIDA: o estabelecimento obrigatoriamente deverá manter o

uso por todos os seus funcionários e a colocação de barreira translúcida entre o atendente de

caixa ou guichê e o cliente;

f) PROIBIÇÃO DE ENTRADA E PERMANÊNCIA DE CLIENTES EM

ESTABELECIMENTOS DE QUALQUER NATUREZA SEM O USO DE

MÁSCARAS: é obrigatório o uso de máscaras pelos clientes nas instalações do

estabelecimento de qualquer natureza, tanto em filas fora das instalações como na entrada e permanência nas instalações, deverá ser proibido de adentrar no estabelecimento quem não estiver com máscara. Caso seja retirada a máscara pelo cliente, deverá cessar de imediato o atendimento e informar que seja recolocada a máscara, não sendo permitido nenhum atendimento sem o seu uso;g) USO DE MÁSCARAS PELA POPULAÇÃO: é obrigatório o uso de máscaras pela

população para locomoção fora de suas residências, entrada e permanência em locais abertos ou fechados públicos ou particulares, e quem desobedecer será convidado a retornar para suas casas, estando proibido aos prestadores de serviços e comerciantes de qualquer natureza, essenciais ou não, o atendimento de pessoas sem o uso de máscaras.

Art. 2º – Fica mantido o Distanciamento Social Seletivo (DSS) em que se recomenda que

apenas alguns grupos permaneçam isolados, com atenção aos de maior risco de agravamento da doença, como idosos e pessoas com doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, ou condições de risco, como obesidade e gestação de risco (pessoas abaixo de 60 anos que poderiam circular livremente, se estiverem assintomáticos), proibida a entrada de crianças com até 12 anos de idade em mercearias, mercados e supermercados.

.

Art. 3º – Ficam determinados como serviços e atividades abertos, pela sua própria natureza de

essencialidade, continuidade terapêutica e asseio, mas com a responsabilização dos

proprietários dos estabelecimentos pelos cuidados e obrigações constantes deste decreto os

segmentos abaixo:

Açougues

Advocacia, contabilidade e similares

Agências bancárias e casas lotéricas

Barbearia, cabeleireiro, manicure e pedicuro

Clínicas de vacinação

Clínicas e Consultórios de fisioterapia, de massoterapia, de psicologia e psiquiatria, médicos,

odontológicos, ortopédicos e veterinários

Delegacia de Policia Civil

Depósitos e lojas de material de construção, elétricos, hidráulicos

Distribuidora de água e gás

Empresas de comunicação, jornal, rádio e TV

Empresas de energia elétrica e saneamento

Estúdios de Pilates

Farmácias e Farmácias de manipulação

Feira do pequeno produtor

Hospitais em geral

Indústrias em geral

Laboratórios de análises clínicas

Lojas ópticas

Mercados, mercearias e supermercados

Oficinas em geral e borracharias

Padarias e Panificadoras

Pet shops

Postos de Combustível

Serviços de internet

Serviços funerários

Tabelionatos e cartórios em geral

Prestação de serviços em geral, inclusive bancos, correspondentes bancários e casas lotéricas

§ Único. Os Hotéis e Pousadas estão autorizados a funcionar com capacidade máxima de 50% (cinqüenta por cento) do total, em conformidade com o tamanho do estabelecimento (consta no Alvará de funcionamento e Licença do Corpo de Bombeiros), com o uso de mascaras pelos clientes na entrada, estada e saída do local, além dos demais cuidados e determinações constantes deste Decreto, e seus restaurantes internos seguirão os procedimentos de atendimento presencial no serviço à La Carte (fica proibido o uso de sistema em self-service), com distanciamento de mesas e cuidados de higiene. Poderão ser atendidos na entrega direta no quarto.

Art. 4º – Ficam determinados como serviços e atividades que devem permanecer fechados ou não permitidos, pela possibilidade de aglomeração e risco, os estabelecimentos, as instituições e entidades abaixo descritas:

Academias

Bibliotecas

Casas noturnas e boates, e shows não permitidos

Clubes e associações

Condomínios: áreas comuns, salões de festas, churrasqueiras, quadras esportivas, piscinas,

academias, saunas, play-ground e reuniões

Estádios

Lounges e locais de happy hour

Museus, teatro, cinema e exposições de arte

Parques de exposições agropecuárias, de recreações, e estaduais

Reuniões e eventos em ambientes públicos e privados, associações, festivos privados, eventos

comerciais, festas, encontros

Salões de festas e comunitários

Templos religiosos e congêneres: celebrações religiosas presenciais e demais atos, rituais e

eventos religiosos, filosóficos, sociais e associativos presenciais em locais fechados; permitido

somente atendimento individualizado e assistencial

Art. 5º – Fica determinada a abertura intercalada dos estabelecimentos comerciais, nos

seguintes moldes com acompanhamento da administração pública, com a assunção pelos

proprietários e responsáveis dos estabelecimentos em relação aos cuidados, proteção e

distanciamento, sob pena de aplicação de multa de 10 (dez) UFMs e encaminhamento das informações à 3ª Promotoria de Justiça de Rolândia, pela questão de saúde pública, e em caso de reincidência do estabelecimento a sua interdição, na forma seguinte:

I – VESTUÁRIO E ARTIGOS PESSOAIS: abertura às segundas e quintas.

II – ELETRODOMÉSTICOS E UTILIDADES DOMÉSTICAS: abertura às terças e

sextas.

III – DEMAIS ATIVIDADES: abertura às quartas e sábados, sendo aquelas

que não constam da relação de proibição – art. 4º, acima.

§ Único. Os estabelecimentos comerciais que mantiverem vários ou todos os itens constantes dos dias acima assinalados para venda deverão OPTAR pelo item “I” (vestuário e artigos pessoais – com abertura nas segundas e quintas), item “II” (eletrodomésticos e utilidades domésticas – com

abertura nas terças e sextas) ou item “III” (demais atividades – com abertura nas quartas e aos sábados), NÃO SENDO PERMITIDA A OPÇÃO POR DOIS OU PELOS TRÊS ITENS NA MESMA SEMANA, e deverão obrigatoriamente afixar cartaz ou banner na entrada do

estabelecimento informando à população por qual dia optou para o atendimento.

Art. 6º – Fica permitida a abertura aos domingos dos serviços essenciais, além dos relacionados

à saúde, os estabelecimentos vinculados à alimentação: açougues, mercearias, mercados,

supermercados, padarias e panificadoras.

Art. 7º – Os restaurantes estão autorizados a funcionar com capacidade máxima de 50%

(cinqüenta por cento) do total, em conformidade com o tamanho do estabelecimento (consta no Alvará de funcionamento e Licença do Corpo de Bombeiros), com horário de fechamento às 18 horas.

§ Único. Os restaurantes seguirão os procedimentos de atendimento presencial no serviço à La Carte

(fica proibido o uso de sistema em self-service), com, distanciamento de mesas e cuidados de higiene e

uso de mascaras para a entrada e saída do local. Poderão também fazer atendimento nos sistemas take

away (leva para casa), delivery e drivre thru (sem sair do carro).

Art. 8º – Os demais estabelecimentos do ramo de atividade da alimentação (Lanchonetes,

pizzarias, sorveterias, food-trucks e afins), atenderão nos sistemas take away (leva para casa), delivery e drivre thru (sem sair do carro).

Art. 9º – As Secretarias, órgãos e repartições públicas permanecem fechados para o

atendimento presencial ao público, mantendo-se os atendimentos por telefone, email, e pelo protocolo on line que consta do site da Prefeitura.

Parágrafo Primeiro. Para a SOLICITAÇÃO de ISENÇÃO DE IPTU, o Setor de Tributação da Prefeitura Municipal estará aberto nos dias 20, 22,23 e 24 de abril, e para a EMISSÃO DE GUIA DE IPTU PARA PAGAMENTO COM VENCIMENTO NO DIA 30 DE ABRIL, o

Setor de Tributação da Prefeitura Municipal estará aberto até o dia 30 de abril de 2020,

Parágrafo Segundo. Para os atendimentos constantes do Parágrafo Primeiro, acima, no Setor de Tributação da Prefeitura Municipal, o munícipe fica obrigado Ao uso de máscara para entrada e permanência nas instalações da Prefeitura Municipal, POIS NÃO SERÁ PERMITIDA A ENTRADA OU PERMANÊNCIA SEM O USO DE MÁSCARAS PARA O

ATENDIMENTO, e deverá esfregar as mãos com álcool em gel ou 70%, que se encontra

disponível nas instalações da Prefeitura, e o distanciamento necessário, cuja sinalização já existe no local.

Art. 10 – Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação e vigorara por tempo

indeterminado, revogando-se as disposições em contrário, sendo que as medidas, por hora, adotadas são inspiradas no Distanciamento Social Seletivo (DSS), nada impedindo que medidas de maior ou menor restrição sejam tomadas, como o Distanciamento Social Ampliado (DSA) ou o Bloqueio Total (lockdown), ou ainda o restabelecimento da normalidade sem essas

medidas de contenção do COVID-19, dependendo do comprometimento da população e

proprietários ou responsáveis por estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços em relação às determinações contidas neste Decreto.

Deixe uma resposta