De acusado de ser funcionário fantasma a Miss Paraná, jornal O Globo detona indicados para a Itaipu

de O Globo

A Miss Paraná de 1995, Marilice Perazzoli Collin, e Marcos Vitório Stamm, acusado de ter sido funcionário fantasma no Senado, foram indicados para cargos em Itaipu – Reprodução internet e divulgação

Após fazer até propaganda apontando a “moralização das nomeações das estatais” como uma das principais medidas de sua gestão, o presidente Michel Temer loteou o comando da hidrelétrica de Itaipu entre aliados e indicou para os cargos até um advogado que já foi acusado de ter sido funcionário fantasma do Senado. A lista dos novos dirigentes foi divulgada pelo Palácio do Planalto. Itaipu é administrada em conjunto com o Paraguai.

Todos os indicados têm como padrinhos políticos paranaenses de PSDB, PMDB, PP, SD e PPS. As nomeações atendem a políticos do estado porque a sede da empresa fica em Foz do Iguaçu (PR). O novo diretor-presidente, Luiz Fernando Vianna, é atual presidente da Companhia Paranaense de Energia (Copel) e foi indicado para Itaipu pelo governador, Beto Richa (PSDB). 

Acusado de ter sido funcionário fantasma no Senado, Marcos Vitório Stamm será o novo diretor financeiro executivo da hidrelétrica. Sua indicação é atribuída ao deputado Sérgio Souza (PMDB). Quando estava lotado no gabinete do peemedebista no Senado, em 2012, Stamm foi acusado de não ir ao Congresso. Ao mesmo tempo em que deveria dar expediente no órgão, ele era presidente da Associação Brasileira dos Advogados Públicos (Abrap).

Indicada pelo deputado Fernando Francischini (SD), uma ex-miss também passará a integrar o comando de Itaipu. É Marilice Perazzoli Collin, que foi eleita Miss Paraná em 1995, representando a pequena cidade de Manoel Ribas. Formada em Administração e Direito, possui um escritório de advocacia e passará a responder pela diretoria jurídica de Itaipu.

Depois de ter sido nomeado em uma semana e demitido na outra da estatal em abril de 2016, Marcos Antonio Baumgärtner assumirá o posto de diretor técnico executivo. Ele é indicado pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP).

Também farão parte do novo comando Ramiro Wahrhaftig (diretor de coordenação), indicado pelo assessor especial da Presidência da República Rodrigo Rocha Loures (PMDB), e Rubens de Camargo Penteado (Administrativa), que já foi secretário-geral do PPS e é ligado ao deputado Rubens Bueno (PPS-PR).

A chamada Lei de Responsabilidade das Estatais foi alardeada como moralizadora por proibir a nomeação de dirigentes partidários e de quem atuou em campanha eleitoral, nos últimos três anos, para o cargo de presidente de empresas públicas ou sociedades de economia mista.

6 comentários em “De acusado de ser funcionário fantasma a Miss Paraná, jornal O Globo detona indicados para a Itaipu

  • 24/01/2017, 13:21 em 13:21
    Permalink

    O post “Diretor financeiro da Itaipu é de Londrina” rendeu 11 comentários. Até alguns elogios. Compreensível para quem deu tamanho salto profissional. Não é qualquer um que sai da condição de assessor parlamentar (antigamente era o popular “aspone” – assessor de porra nenhuma!) para diretor financeiro executivo de Itaipu. Ou o cara era um gênio desconhecido ou acabou ganhando na mega sena corporativa. Vamos ver quantos comentários este post, que expõe o “modus nomeandis” do presidente golpista, vai render.

    Resposta
  • 24/01/2017, 14:40 em 14:40
    Permalink

    O Pais ta de ponta cabeça mesmo, hora de passar o rodo e fechar esta zona.

    Resposta
  • 24/01/2017, 15:58 em 15:58
    Permalink

    Pare, olhe o grande trabalho que o irmão Márcio Stamm fez como chefe de gabinete da Prefetiura de Londrina.

    Resposta
  • 24/01/2017, 15:59 em 15:59
    Permalink

    Sem contar o Mário Stamm como Secretário de Obras do Paraná no Governo de Orlando Pessuti.

    Resposta
    • 24/01/2017, 21:17 em 21:17
      Permalink

      Orlando Pessuti?… Governador?… Quá! Quá! Quá!

      Resposta
  • 24/01/2017, 16:14 em 16:14
    Permalink

    Nomeação de Rubico Camargo para a Itaipu fere a Lei

    A informação está no O Globo, em matéria de Eduardo Bresciani e Maria Lima. A indicação de Rubens de Camargo Penteado para a diretoria administrativa foi do deputado federal Rubens Bueno, do PPS do Paraná e fere a Lei de Responsabilidade das Estatais sancionada pelo próprio presidente Michel Temer no ano passado.

    Utilizada pelo governo até em peças publicitárias como uma medida de “moralização”, a lei proíbe a nomeação de quem ocupou cargos de direção partidária nos 36 meses anteriores à indicação. Rubico – como é conhecido nos meios políticos – , porém, era integrante da executiva do PPS no Paraná até 23 de junho de 2016. Ele já foi também secretário-geral do partido.

    A indicação de Rubico é atribuída a Rubens Bueno, líder do PPS na Câmara e que já ocupou a mesma diretoria em Itaipu entre 2003 e 2004. O Planalto anunciou na sexta-feira passada a nova diretoria, mas ainda não houve a publicação no Diário Oficial. Somente após este ato a nomeação passa a ser oficial.

    A redação da Lei de Responsabilidade das Estatais é expressa afirmando que é vedada a nomeação “de pessoa que atuou, nos últimos 36 (trinta e seis) meses, como participante de estrutura decisória de partido político ou em trabalho vinculado a organização, estruturação e realização de campanha eleitoral”.
    A nova legislação foi defendida pelo governo como uma forma de evitar a influência política nas empresas estatais, mas, como o GLOBO mostrou nesta terça-feira, todos os indicados têm padrinhos políticos e na lista há até um advogado que foi acusado de ser funcionário fantasma no Senado. Texto do Cícero Cattani

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: