Este País não é sério mesmo: Doleiro pode ficar com R$ 20 milhões de tudo que roubou

Apesar de ser parte integrante do maior esquema de corrupção do país, a justiça mostra que a prática ainda vale a pena. Um exemplo é do doleiro londrinense, Alberto Youssef, que após acordo de delação premiada, na Operação Lava Jato, pode faturar até R$ 20 milhões. O que acontece é que ele pode receber 2% de tudo que ajudar recuperar.

6 comentários em “Este País não é sério mesmo: Doleiro pode ficar com R$ 20 milhões de tudo que roubou

  • 26/01/2015, 14:19 em 14:19
    Permalink

    Vai ter que dividir com a viúva de um ex deputado federal?

    Resposta
  • 26/01/2015, 14:54 em 14:54
    Permalink

    A primeira vez o juiz estava em Maringá e o premiado tambem estava em Maringá.
    A administração Gianoto derrapou, o Paulichi morreu misteriosamente em Brasilia, e a coisa ficou estranha. Mas passado um tempinho e tudo ficou por isso mesmo.
    Depois o juiz foi para um lado e o premiado veio em Londrina num caso de intensa paixão: Ama/Comurb. Tudo ficou por isso mesmo (até hoje).
    Aí veio o caso Banestado e seus desdobramentos.
    O juiz premiou o premiado, pois ele prometeu que não iria mais fazer nada errado e de quebra entregaria todo mundo. Foi pelo conjunto da obra. E tuupo ficou por isso mesmo.
    Aí o juiz e o delator premiado se encontram pela última (será?) vez. O delator promete delatar como da primeira delação todos os que precisam ser delatados. O juiz paga pra ver se o delator vai delatar algo de novo das pessoas passíveis de delação. O delator, logicamente se compromete a não fazer mais coisa errada, aliás como fez na primeira delação. Sabendo da boa intenção do redelator que delata e delinque o juiz, atendendo os preceitos de conduta jurídica padrão Joaquim/Mendes/Rosa/Marco primo do Collor, o juiz concede a validade da delação e ainda arbitra um comissionamento para a grana que for devolvida.
    Mas, veja bem, não era assim que as empreiteiras mandavam o premiado delator agir: olha, vai lá, dá um troco e parte fica contigo. Se o diretor da Petrobras fizer charme me chame, ou mude a obra ou aumente a quota.
    Não é esquisito.
    Claro que não! O juiz vai até receber premio Firjan padrão Irmãos Marinho e o delator premiado vai levar uma graninha para recomeçar sua vida. É tudo da lei como diria profeta Seixas.
    Os empreiteiros se livram, o pessoal deputado amigo se livra, o premiado se livra, e ainda por cima deixa o PT como o maior bandido da história da galáxia conhecida.
    Tudo em nome da justiça.
    Ah! Ainda bem!

    Resposta
  • 26/01/2015, 15:03 em 15:03
    Permalink

    isso é legal, pois ele tem de pagar o seu advogado, a oab pensa em tudo.

    Resposta
  • 26/01/2015, 16:50 em 16:50
    Permalink

    É a comissão por ter fornecido material de campanha ao PSDB… Não fossem os vazamentos seletivos, o Aécio teria feito o que Serra fez: 1/3 dos votos.

    Resposta
  • 26/01/2015, 21:11 em 21:11
    Permalink

    Quem não é sério é quem negociou essa delação premiada.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: