Governo não consegue explicar função de Caramori; coordenador da Comel “estranha” questionamentos do JL

Do blog Baixo Clero/Fábio Silveira

As dúvidas sobre as funções exercidas pelo fotógrafo Marcelo “Tchello” Caramori e onde ele dava expediente no governo do Estado durante o primeiro mandato do governador Beto Richa (PSDB) não são privilégio do contribuinte. O governo do Estado também não sabe dizer onde ele trabalhava. Caramori está preso sob a suspeita de favorecimento à prostituição.

O JL questionou a Casa Civil sobre a contratação de Caramori. A resposta dada por e-mail foi que o fotógrafo “prestava serviços para a Coordenação da Região Metropolitana de Londrina (Comel)”. Ao questionamento sobre a estrutura do Estado que era usada por Caramori [para trabalhar, se fosse esse o caso], a resposta foi que “esta pergunta deve ser dirigida à Comel, para onde foi designado [Caramori]”.

Ontem o coordenador da Região Metropolitana de Londrina, Victor Hugo Dantas, devolveu a batata: negou que Caramori trabalhasse na Comel e disse que ele era “funcionário da Casa Civil”.

Dantas aproveitou a entrevista à repórter Tatiane Salvatico, do JL, para dizer que gostaria de entender o motivo pelo qual o jornal queria explicar o trabalho de assessor.

A curiosidade de Dantas sintetiza a crise vivida pelo Paraná: o governo contrata comissionados sem saber com que objetivo e na hora que as contas apertam, parte para cima do contribuinte (tarifaço) e do funcionalismo (pacotaço) e que por conta da má gestão precisa “juntar dinheiro” para fazer frente à folha de pagamento.

5 comentários em “Governo não consegue explicar função de Caramori; coordenador da Comel “estranha” questionamentos do JL

  • 20/02/2015, 14:22 em 14:22
    Permalink

    A Uel sem dinheiro sem obras já que não tem contra- partida e o dinheiro depositado do governo federal pode ser perdido.
    Não sei o que esse sujeito vai fazer,poderia até os 200 mil eleitores de Londrina fazer uma vaquinha para ajudar o distinto,sobra 18 bilhões do orçamento do estado para investir em obras,cade o dinheiro,foi para pagar Caramoris,pagar noitadas,pagar blogueiros fiéis,pagar jornais políticos,ou comprar consciências.
    Acho que esse sujeito tem que ser deposto,ou o Paraná para.

    Resposta
    • 20/02/2015, 20:18 em 20:18
      Permalink

      Nem dá pra comentar o post. Também não dá pra responder seu comentário. Dizem tudo.

      Resposta
  • 20/02/2015, 18:14 em 18:14
    Permalink

    Podem mandar os dois pra rua, inclusive aquela turma de farda que ganha mais de vinte paus por mes.E tem o rpimo do governador tbem, so que este e caso de federal….

    Resposta
  • 20/02/2015, 22:39 em 22:39
    Permalink

    Se governo tucano não consegue explicar a função de um comissionado que acompanhava o governador em Londrina, o que ele teria a dizer do “trabalho” dos milhares de comissionados nomeados pelo Richa? E se o governo tucano tivesse que explicar o descalabro na administração pública estadual? Tudo isso está acontecendo porque o Paraná é controlado pelo governador e seus aliados (no legislativo e nos órgãos fiscalizatórios) que não abrem brechas para uma fiscalização profunda nos atos da administração. O Fábio do JL já deve estar incomodando muita gente no Palácio Iguaçu com esse post.

    Resposta
  • 23/02/2015, 11:07 em 11:07
    Permalink

    Este cidadão sempre esteve lotado na COMEC, mas o compadre do ex-Conselheiro do Tribunal de Contas não tem coragem de falar, ele recebia ordem do Coordenador quando o governo estava na cidade, agora o povo que saber o que ele fazia quando o governador não estava na região. O deputado Requião Filho protocolou processo númerto 13.494.159-6, questionando estes procedimentos, vamos aguardar para ver a resposta, por enquanto o processo esta na Casa Civil e segundo informação estão com dificuldades para responder tais questionamentos.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: