Jornalista diz que prefeito de Rolândia apareceu na emissora sem avisar e sem ser convidado

E o jornalista Guilherme Spanguemberg, que faz um programa na Rádio Líder FM, de Rolândia, disse que não desafiou o prefeito Luiz Francisconi a ir a seu programa responder a questionamentos sobre sua administração. Mas sim a demitir metade dos quase 90 comissionados que ele teria contratado para a administração. “Na campanha eleitoral ele disse que iria trabalhar com 35 cargos comissionados. Hoje são quase 90. Foi isso que eu cobrei”, disse Spanguemberg. Segundo ele o prefeito foi ao programa sem avisar e depois de uma conversa pouco amistosa com um diretor da emissora teria sido orientado a pedir na Justiça Direito de Resposta.

Veja a nota que Spanguemberg publicou no seu perfil no facebook:

Nos últimos dois dias eu abordei no meu programa de rádio, na Líder FM 87.9, a nomeação de quase 90 cargos comissionados na prefeitura de Rolândia. Também questionei a promessa NÃO cumprida feita em campanha eleitoral pelo atual prefeito em administrar a cidade com 35 cargos.

Fiz o que tinha que ser feito e em momento algum transmiti mentiras para o meu ouvinte!

Tudo isso gerou a ira e a fúria do prefeito que hoje foi ao meu programa, de repente, SEM AVISAR, e mesmo assim queria porque queria falar e dizer o que pensava!

Senhor prefeito, o meu programa não é a sua casa, que você entra a hora que bem deseja e faz o que quer. Por acaso alguém entra no seu consultório ou no gabinete da prefeitura quando bem entende?

É preciso o mínimo de bom senso e respeito às regras!

NÃO tive NENHUM contato com ele, pois estava apresentando o programa, mas soube POSTERIORMENTE, através da direção da rádio, que ele queria rebater as informações divulgadas e as criticas feitas por mim em razão da PROMESSA não cumprida, afinal de contas, repito, ELE PROMETEU em campanha administrar a cidade com 35 cargos comissionados, mas atualmente tem 80, conforme ele mesmo informou através de um recado.

Pelo que eu soube, o prefeito foi orientado pela direção da rádio a procurar os meios legais para ter o devido direito de resposta, uma vez que naquele momento ele estava se sentindo ofendido com as verdades ditas no meu programa.

Em nenhum momento foi falado para o senhor prefeito que ele não teria direito de se expressar. Em nenhum momento tive contato com ele, muito menos recebi qualquer tipo de telefonema me avisando que ele hoje gostaria de participar do programa. Ele simplesmente apareceu e queria fazer o que bem desejasse!

Ao contrário do que o próprio prefeito publicou na rede social, eu NÃO o desafiei a IR ao meu programa. Eu o desafiei a EXONERAR metade dos cargos comissionados e simplesmente cumprir com o que prometeu durante a campanha. E continuo desafiando a exonerar esses cargos! Simples!

O que o senhor prefeito chama de ataque eu chamo de cobrança, afinal de contas ele é funcionário do povo e recebe dinheiro público para trabalhar pelo povo.Mais uma vez refaço o desafio ao prefeito de exonerar metade dos cargos comissionados que ele nomeou e com isso cumprir com o que prometeu na última eleição.

Enquanto eu falei verdades sobre o que está acontecendo, o atual prefeito de Rolândia tenta de forma desesperada em rede social ofuscar o peso das informações transmitidas por mim.

Desde que decidi abordar esse tema espinhoso que envolve uma promessa NÃO cumprida do atual prefeito e a má aplicação do dinheiro público tornando a prefeitura um verdadeiro cabide de emprego, já sabia que sofreria retaliações, que seria jogado aos leões, mas nada disso não vai intimidar o meu trabalho que já dura sete anos em Rolândia!

Em face do exposto, sugiro ao prefeito que saia do facebook e pare de se fazer de vítima. Sugiro também que apenas cumpra com a palavra e resolva os problemas da cidade, sobretudo os mais simples, os que ele não tem tido competência para resolver e que afetam a população no dia a dia.

Guilherme Spanguemberg

Deixe uma resposta