Liminar mantém em 11 número de vereadores de Apucarana

Do RTV/Canal 38

Em Apucarana, terra do prefeito petista/tucano Beto Preto, a briga pelo número de vereadores na Câmara continua.

Ontem o juiz Rogério Tragibo concedeu liminar mantendo 11 cadeiras na Câmara. No dia 29 de fevereiro o Promotor Eduardo Cabrini, havia impetrado uma ação com pedido de liminar na Vara de Fazenda Pública de Apucarana, pedindo anulação de dois projetos que aumentou o número de vereadores de 11 para 19 e o que diminuiu de 19 para 15 vereadores.
O juiz Rogério Tragibo, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Apucarana, concedeu liminar determinando em 11 o número de cadeiras para o Legislativo Municipal. A liminar revoga os dois projetos de lei o primeiro que aumentava de 11 para 19 o número de vereadores e o segundo, que passava de 19 para 15. O número de vereadores e o aumento nos gastos do já foi alvo de diversos protestos no Legislativo de Apucarana.

O presidente do Legislativo Municipal, José Airton Deco de Araújo, disse que não vai falar sobre a decisão, porque ainda não havia recebido a liminar. A liminar deve ser entregue à Câmara de Vereadores durante o dia de hoje.
O Observatório Social de Apucarana (OSA) recolheu 7 mil assinaturas no ano passado, para o projeto de iniciativa popular que pedia a permanência de 11 vereadores. Sendo derrubado por 7 sete votos contra e 4 favoráveis. O resultado na época deixou todos os presentes exaltados e inconformados com o resultado da votação.
Segundo o presidente do Observatório Social, Mauro de Oliveira Carlos, aumentar o número de vereadores não aumenta a representatividade da população. “Na atual conjuntura econômica também não comporta aumentar os gastos”, afirma.
Atualmente parlamentares, recebem cada um, salário mensal de R$ 8.892,38 e o presidente R$ 12.010,12, cada vereador conta ainda com assessores em seus gabinetes. O que aumentaria muito os gastos no legislativo apucaranense.
O presidente do Legislativo Municipal, José Airton Deco de Araújo, não atendeu a reportagem do Canal 38, pois está em reunião com o jurídico da Câmara e disse que irá se pronunciar no inicio da tarde sobre a decisão.

Deixe uma resposta