Maia suspende 12 parlamentares do PSL a pedido do partido

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), acolheu pedido do PSL para suspender 12 deputados das funções partidárias pelo período de um ano. A decisão foi publicada na edição desta quarta-feira (3) do “Diário Oficial da Câmara”.

Desde o ano passado, o PSL vive uma crise interna que opõe, de um lado, uma ala ligada ao presidente Jair Bolsonaro e, de outro, o grupo ligado ao presidente do partido, deputado Luciano Bivar (PSL-PE). A disputa provocou um racha que culminou na saída de Bolsonaro da legenda.

Ficam suspensos:

  1. Aline Sleutjes;

  2. Bibo Nunes;

  3. Carlos Roberto Coelho de Mattos Junior;

  4. Caroline Toni ;

  5. Daniel Silveira;

  6. Elieser Girão Monteiro Filho;

  7. Filipe Barros;

  8. Junio Amaral;

  9. Hélio Lopes;

  10. Márcio Labre;

  11. Sanderson;

  12. Vitor Hugo de Araújo Almeida

Os deputados suspensos continuarão no exercício do mandato, mas não poderão mais ocupar cargos de liderança ou vice-liderança para representar o partido na Câmara.

Além disso, eles perdem as prerrogativas junto à bancada e ao partido. Perdem também cargo e função que estejam exercendo em decorrência da representação e da proporcionalidade partidária.

Os 12 suspensos, porém, mantém o direito de disputar as convenções para escolha dos candidatos nas eleições municipais de 2020 pelo prazo de 12 meses.

*Com informações do G1 e blog Marcos Alexandre

4 thoughts on “Maia suspende 12 parlamentares do PSL a pedido do partido

  • 04/03/2020, 16:16 em 16:16
    Permalink

    Chupa, Fifilipe Barros, que a cana é seca e dura! Também o deputado quer as benesses do PSL, partido que ele trai diariamente. Se quer ser fascista, digo, bolsonarista faça como o chefe da sua seita: seja “sem partido”. Quá! Quá! Quá!

    Resposta
    • 04/03/2020, 18:42 em 18:42
      Permalink

      Aos poucos esseninho de cobras mostra qiem são. A verdade sempre aparece..

      Resposta
  • 04/03/2020, 21:21 em 21:21
    Permalink

    E aí, pessoal, mais um londrinense foi defenestrado do governo bolsonaro. Agora foi a vez do Dante Mantovani, ex-presidente da Funarte, aquele maluco que jura por Deus que o rock leva ao aborto e ao satanismo. Os “intelectuais” da direita londrinense estão condenados e não emplacar um único londrinense no governo bolsonaro. Nessa direita londrinense só tem comédia…

    Resposta
    • 06/03/2020, 08:07 em 08:07
      Permalink

      O PSC deveria fazer o mesmo. Defenestrar o comentarista da Rede Massa. Tem muita coisa errada por debaixo dos panos…..

      Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: