O conselho de Hosken de Novaes que Cida Borghetti desacata

Excelente tema para a meditação da nova governadora do Paraná Cida Borghetti, que está fazendo alterações significativas em seu secretariado e no quadro de servidores de escalão mais baixo, é este trecho do discurso de José Hosken de Novaes.

Foi feito em maio de 1982, ao tomar posse do governo do Paraná.

Hosken sucedeu a Ney Braga, que renunciou para disputar uma vaga no Senado – e a conquistou.

“Normalmente, o governo que se instala organiza a sua equipe, o seu corpo de colaboradores. É prerrogativa do chefe. Tal procedimento, perfeitamente razoável e dentro da ordem natural das coisas, em certos momentos é impraticável ou desaconselhável. A improvisação ou testes de individualidades, nesta hora (ele se referia à campanha eleitoral que se aproximava), é conduta incompatível com a prudência, a que devo total acatamento. Entro no governo por exigência de ordem institucional, e por curto tempo. Encontro uma equipe em pleno funcionamento, cumprindo sua missão, executando tarefas que não podem ser interrompidas, que devem chegar ao seu termo. Desorganizá-la para outra recompor, em tão curto espaço de tempo, seria uma temeridade, quiçá mesmo uma aventura.”

O cenário de hoje – Cida assumiu porque Beto Richa renunciou para concorrer ao Senado – é idêntico ao de 36 anos atrás. Mas a prudência aconselhada por Hosken não está pautando a conduta da governadora, que é candidata à reeleição, o que não existia naquela época.

3 comentários em “O conselho de Hosken de Novaes que Cida Borghetti desacata

  • 25/04/2018, 12:55 em 12:55
    Permalink

    Em 1982 Saul Raiz para governador e Ney Braga para senador, não foram eleitos.

    Resposta
  • 25/04/2018, 13:50 em 13:50
    Permalink

    Quem foi eleito foi o Álvaro Dias e o Afonso Camargo.

    Resposta
  • 26/04/2018, 00:19 em 00:19
    Permalink

    Rick Lamas vem aí

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: