Richa e o culto à desfaçatez

Se há uma coisa que o governador Beto Richa gosta de fazer, é fazer de conta que não é com ele.

A última do governador de todos os paranaenses é que ele prefere não tomar conhecimento de que o seu chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, teve os bens bloqueados pela Justiça, acusado de ter mantido funcionários fantasmas em seu gabinete quando era deputado estadual.

Bom Richa já havia nomeado em junho de 2013 o pivô do escândalo da sogra fantasma, Ezequias Moreira, para o cargo de secretário especial do Cerimonial e Relações Internacionais. Ezequias admitira publicamente que desviou recursos dos cofres da Assembleia Legislativa no caso que ficou conhecido como sogra fantasma, revelado pela Gazeta do Povo em 2007. Ele foi condenado por ato de improbidade administrativa e ainda responde na Justiça pelo crime de desvio de dinheiro público.

Richa também procurou ignorar o primão Luiz Abi Antoun, que era visto em sua companhia regularmente, quando este foi acusado de fraudar licitações.

Um comentário em “Richa e o culto à desfaçatez

  • 27/05/2016, 16:18 em 16:18
    Permalink

    Esse governador não é diferente de um Cunha,Jucá,Renan etc deveria estar na cadeia ,mas cade as leis para prender .

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: