Sinecura de pai para filho

do Antagonista

O Estadão registrou que além de Carlos Marun, o governo tem outros cinco conselheiros na Itaipu Binacional. Entre eles, citou Orlando Pessuti, ex-governador do Paraná.

O jornal se enganou: quem ocupa o cargo desde março de 2017 é Orlando Moisés Fischer Pessuti, filho do ex-governador.

Sim, o cargo foi passado de pai para filho.

4 comentários em “Sinecura de pai para filho

  • 07/01/2019, 19:28 em 19:28
    Permalink

    Assim é o poder no Brasil: vitalício e hereditário.

    Resposta
  • 08/01/2019, 01:02 em 01:02
    Permalink

    Às vezes, a sinecura vai pra família inteira. Foi assim com a família de Queiroz. Os Bolsonaros garantiram cargos públicos bem remunerados para o pai Queiroz, a mãe Queiroz e a filha Queiroz. Mas o Bolsonaro-mor garantiu sinecura filé para um genro! Quem não se lembra do delator Leo Pinheiro, aquele que disse que o triplex do Guarujá era do Lula e aí foi pra casa curtir sua grana gorda? Pois é, o genro do Leo Pinheiro acabou de ser agraciado pelo presidente Bolsonaro com o cargo de presidente da Caixa Econômica. Não é preciso nem desenhar…

    Resposta
    • 08/01/2019, 11:01 em 11:01
      Permalink

      O Queiroz tinha duas filhas “trabalhando” para os deputados Bolsonaros: a zero um e a zero dois. Uma inclusive “trabalhou” como assessora do honestão Jair Bolsonaro, quando deputado e golpista federal. A família inteira foi dispensada rapidinho quando a gafanhotagem foi descoberta, isto é, quando a bomba explodiu. Mas o Messias Bolsonaro se elegeu presidente, o Moro controla a PF e o Coaf e esquema que pode ter enriquecido a família Bolsonaro será enviado às calendas gregas.

      Resposta
  • 08/01/2019, 18:05 em 18:05
    Permalink

    orlando pessuti, conhecido como sanfoneiro de zona, ta mamando do erario a mais de 40 anos……vai trabalhar gordo vagabundo

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: