TRE mantém mandato de Gustavo Richa

Lembra aquela briga pela vaga do vereador Gustavo Richa que se desfiliou do PHS e ingressou no PSDB fora da janela da traição? Segundo a legislação eleitoral, o mandato é do partido e não do eleito, e como Gustavo já tinha saído da “janela”, teria de devolver o mandato ao partido.

Pois bem, por unanimidade, o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, extinguiu o processo movido pela suplente do vereador Gustavo Richa, Adriana Aguilera, e a Ação de Perda de Mandato por Infidelidade Partidária não foi reconhecida por entenderem que a ação proposta era ilegítima e por falta de interesse da propositora.

7 thoughts on “TRE mantém mandato de Gustavo Richa

  • 26/08/2016, 11:11 em 11:11
    Permalink

    E o mundo da voltas heim ??!?! Cheio de “expecialistas” aqui que diziam que o Vereador iria perder o mandato. Agora aguentem. E que se cuidem a tal da Adriana e partidos…

    Resposta
  • 26/08/2016, 11:30 em 11:30
    Permalink

    Vem pouco fortalecido esse rapaz heim. Ontem no Samu presenciei o Amauri cardoso tomando invertida do pessoal da saude por causa do Rochinha rs

    Resposta
  • 26/08/2016, 14:35 em 14:35
    Permalink

    Não foi tão Caipira o House of Cards envolvendo esse Vereador…

    Resposta
  • 26/08/2016, 16:56 em 16:56
    Permalink

    No final a verdade prevaleceu.

    Resposta
  • 27/08/2016, 23:13 em 23:13
    Permalink

    Mas cadê a lei de liberação dos food trucks Sr vereador onde e quando vamos poder trabalhar em?? Ou só ficou no papel

    Resposta
    • 30/08/2016, 19:21 em 19:21
      Permalink

      Boa noite,
      Falo aqui em nome do Du Delega Food Truck. Gostaria de solicitar a quem enviou este comentário que não utilizasse do nosso nome para qualquer fim. Nós, do Du Delega, estamos em contato direto com o vereador, e demais órgãos envolvidos com a legislação pertinente aos food trucks. Estamos a par de todo o andamento. Gostaria de esclarecer que este comentário não foi feito por nossa empresa.

      Resposta
  • 28/08/2016, 11:17 em 11:17
    Permalink

    Tenho pena da acusadora se o réu absovildo entrar com danos morais. E cabe sim.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: