A Copel já se preparou para desembarcar da Sercomtel

O que mais existe é a cultura do “é possível, nós vamos fazer” na política.
Mas quando o gestor vai enfrentar o drama da receita pequena e a despesa grande e que só aumenta, aí vai a famosa frase: “a dificuldade do momento político e da conjuntura econômica que o Brasil vive”.
E dá-lhe aumento de IPVA, ICMS, Taxas do Detran e ITCMD pelo Beto Richa, CIDE, PIS e Cofins pelo Michel Temer, IPTU, ITBI e Taxas do Lixo e outras cositas pelo Marcelo Belinati.
Cortar na carne não é possível?

(mais…)

, , , , , ,

Finanças da Sercomtel, clareando… ou não

Ontem publiquei sobre os dirigentes financeiros da empresa (http://bit.ly/2ggHjql) e chamou a atenção que o responsável por apresentar os números na sessão descarrego da Sercomtel na frente do Prefeito e convidados foi Edilson Moreira (Sercomtel Contact Center), já que a atual diretora Rosangela Miqueletti – indicada pelo ex-presidente Luiz Adati – nada disse no evento.

(mais…)

, , , , , ,

CMTU, Cohab e ainda a Sercomtel, alvos do Ministério Público

O blog vinha alertando desde o início do ano que a telefônica Sercomtel e a Cohab de Londrina tinha em seus tem em seus conselhos pessoas que não se enquadram na Lei das Estatais. E não poucas.

Aliás, o blog questionou várias vezes a indicação do ex-presidente da Sercomtel – que pediu demissão ontem – por não se enquadrar na lei. Enfim.

Agora leio na Folha de Londrina, matéria do Guilherme Marconi, que a promotora de Patrimônio Públio, Sandra Koch está dando prazo de 30 dias para que os membros de diretoria e conselho da Cohab e Sercomtel apresentem a documentação necessária que comprove se podem ou não ocupar as funções. (mais…)

, , , , , , , ,

Belinati à espera do milagre, aliás, de vários

Hoje à tarde o prefeito de Londrina Marcelo Belinati participou de uma entrevista coletiva para anunciar o novo presidente da telefônica Sercomtel – Hans Muller – e repetir o que imagina ser possível fazer para salvar a empresa.

O prefeito tenta manter as aparências e o otimismo, mas sabe que a missão é complicada. Para solucionar, temporariamente, os problemas e dar sobrevida à empresa, Belinati quer que o governo do Paraná e a Copel sejam parceiros efetivos da Telefônica, o que, até o momento, não demonstram vontade. Belinati quer, por exemplo, perdão de dívidas de ICMS; quer que a Copel participe de investimentos para modernizar os serviços e oferecer fibra ótica. Além disso, reza ainda para que a Agência Nacional de Telecomunicações dê um alívio nas medidas que tem dado indícios que irá tomar contra a empresa londrinense. (mais…)

, , , , ,

Impasse no acordo coletivo é outro “calo” a ser resolvido pela Sercomtel

do TRT

Permanece o impasse no dissídio coletivo envolvendo a Sercomtel S/A Telecomunicações e o Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicação do Paraná (Sinttel/PR). Na última quinta-feira, em audiência no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná, em Curitiba, as partes buscaram soluções para compor o novo Acordo Coletivo, sempre levando em conta graves dificuldades econômicas por que passa a empresa – que pode inclusive perder a licença concedida pela Anatel para explorar a atividade econômica -, que não dispõe de recursos financeiros para conceder a principal reivindicação dos trabalhadores: reajuste salarial de 7%. Trabalhadores e empregadores tentam chegar a uma solução desde o primeiro semestre deste ano (a data-base da categoria é em junho). (mais…)

, , , , , ,

Belinati errou e erra em não atender a Lei das Estatais na Sercomtel

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, errou ao nomear o empresário Luiz Carlos Adati para a presidência da Sercomtel.

Primeiro porque sabia que estava agindo contra a Lei das Estatais, aliás, lei que ele mesmo votou favoravelmente. Entre outras coisas a Lei das Estatais define critérios para a contratação de gestores. A ideia é reduzir os apadrinhamentos meramente políticos.

Segundo o texto da lei, o critério para as nomeações deve ser técnico e os nomes, de preferência, serão do próprio quadro da empresa. Dos conselhos, farão parte de sete a 11 membros, com mandatos de até dois anos, e um quarto deles (25%) devem ser independentes – não poderão ter vínculo com a estatal. (mais…)

, , , , ,

Veja a Carta de Despedida de Adati

“Tendo sido nomeado e eleito para o cargo de Diretor Presidente e de Relação com Investidores da Sercomtel S/A – Telecomunicações em janeiro do presente ano, por conta da minha trajetória como empresário com atuação em seis estados, informo à comunidade londrinense que estou acolhendo Recomendação Administrativa do Ministério Público do Estado do Paraná, recebida em 14 de setembro passado, e optei por deixar o cargo no presente momento. (mais…)

, , , ,

Adati até que tentou, mas era um peixe fora dágua

Dentro de alguns minutos a assessoria do ex-presidente da telefônica Sercomtel, Luiz Adati, vai soltar uma nota oficial explicando porque ele está deixando o comando da empresa. A não ser que eu esteja muito errado, vai alegar questões pessoais, etc,.

Mas o fato é que Adati há muito tempo já vinha pensando em deixar o barco. Obviamente ele não podia alegar que não sabia como estava a situação da empresa. O irmão dele, Carlos Alberto Massaru Adati, fora presidente do Conselho de Administração da Sercomtel e conhecia os números.

Luiz Carlos Adati, empresário bem sucedido no ramo dos estacionamentos, mas sem conhecimento do mercado de telefonia, fez o possível, mas encontrou trocentas pedras pelo caminho, de má vontade de grupos a falta de habilidade política.

Para piorar, o Ministério Público estava analisando a Lei das Estatais o que pode gerar, em breve, a saída de diretores e conselheiros da empresa que não se enquadram nas novas regras. Adati era um dos alvos da promotora Sandra Koch, como agora foi confirmado.

, , , , , ,

Sercomtel quer realmente parceria com a Copel pra crescer

E o novo presidente da telefônica Sercomtel, Luiz Adati, tomou posse ontem, numa cerimônia muito concorrida como há tempos não se via.

Estavam presentes o prefeito Marcelo Belinati, prefeito de Londrina, e Luiz Fernando Vianna, presidente da Companhia Paranaense de Energia (Copel), sócio da Sercomtel, além de vários políticos e empresários.

A presença do presidente da Copel foi vista com um aceno salvador. Ocorre que ex-dirigentes da Sercomtel admitem, mas não falam em público, que a empresa vende o almoço pra pagar a janta.

A própria Copel sempre olhou pra Sercomtel como um visitante não muito bem quisto na casa de praia. Sempre houve sinais.

Por exemplo: a Sercomtel é uma empresa de telefonia, transmissão de dados, etc. A Copel usa qual operadora de telefonia celular? E qual operadora da fixa? Sercomtel? (mais…)

, , , , ,