O PSOL critica os partidos tradicionais e propõe um novo modelo de gestão para o Paraná

Nascido em Cianorte, vereador em Almirante Tamandaré, o candidato do Psol ao governo do Paraná, Professor Piva, critica a forma como vem sendo conduzida administração do Estado e propõe um novo modelo de gestão.

, , , , , , , , , , , , , ,

Osmar Dias joga a toalha e diz que não vai participar mais desta eleição

COMUNICADO AOS PARANAENSES

Reorganizar o Estado, acabar com o loteamento de cargos, romper com um modelo de governo em que impera o compadrio, a nomeação de pessoas sem qualificação, sem capacidade, libertá-lo dos vícios do patrimonialismo e combater com rigor a corrupção que contaminou as instituições públicas, recuperando o respeito e a confiança da população nas autoridades.
Coragem e determinação para isso foi o que demonstrei em toda minha caminhada.
Durante meses a fio lutei incansavelmente para construir uma frente política que não me deixasse só numa batalha desejada por toda a sociedade.
Encontrei muita gente, nas ruas e nas estradas, sintonizadas com essas ideias, exigindo que as mudanças sejam feitas para não permitirmos que o Paraná e o Brasil sejam empurrados para uma crise ainda mais profunda.
Mas percebi que o sistema político sem reformas não aceita na prática o discurso de mudança que todos os políticos pregam em época de eleição.
Por ingenuidade ou excesso de confiança acreditei que como eu os políticos de todos os partidos haviam compreendido o momento grave que estamos vivendo.
Não cedo jamais em valores e princípios. Aceito discutir e construir alianças políticas que sejam para atender o interesse público. Mas não negocio com o interesse público, não faço acertos perniciosos à sociedade para contemplar pessoas ou grupos políticos que não medem consequências nem custos para ter o poder e repartir suas benesses com amigos e parentes.
Não agrido minha consciência em troca de tempo de TV, ou de apoio com base em barganhas escusas ou apoios hipócritas.
Política não pode ser um jogo dominado por sentimentos e paixões negativas como vaidade, inveja, pensamento medíocre.
Não aceito fazer parte disso!
Prefiro preservar minha história de trabalho e ter dignidade e respeito à minha família e amigos e às pessoas que verdadeiramente gostam e acreditam em mim.
Por isso, comunico que não disputarei as eleições em 2018.
Peço a compreensão e o apoio a essa difícil decisão que é definitiva.
Agradeço sinceramente o carinho que sempre recebi dos paranaenses e, peço que Deus nos conceda suas bênçãos para que tenhamos um futuro melhor para o nosso Paraná.

Osmar Dias

, , , , , , ,

O PT, Requião, Osmar Dias e as nuvens do céu

Já dizia o sábio – talvez nem tão sábio assim – que a política é igual nuvem: você olha para o céu e ela está de um jeito; segundos depois olha de novo e tudo mudou.

Bom, ontem Roberto Requião de Mello e Silva, o senador do MDB, disparou que não há mais possibilidade de acordo para que o MDB e o PDT de Osmar Dias caminhem juntos nesta eleição. (mais…)

, , , , ,

Ratinho também não define vice. Mas diz que vai cortar 50% das secretarias

O candidato ao governo do Paraná, Ratinho Junior, durante a convenção do PSD que está acontecendo em Curitiba, no Paraná Clube, também deu uma vasilinada com relação ao nome do candidato a vice. Disse que há vários nomes, etc, etc. Também não definiu chapa para o Senado e nem firmou apoio a Beto Richa.

De novo afirmou que vai reduzir pela metade o número de secretarias e que tentará sentar com os representantes dos sindicatos dos servidores já nos primeiros dias para criar um plano de ação para quatro anos.

Ouça um pouco da entrevista coletiva que ele concedeu antes do início da convenção.

, , , , , , , , , , ,

MDB quer aliança com o PDT. Se não rolar, pode ter candidato próprio ao governo


O MDB está fazendo sua convenção hoje em Curitiba. Absolutamente nada diferente do de sempre. Roberto Requião será o candidato ao Senado. O partido, que pelos discursos, está se achando o detentor do poder para eleger o candidato ao governo, mesmo não tendo candidato próprio, não havia ainda decidido em que barca subir. A meta inicial é apoiar Osmar Dias (PDT).

Aliado desde sempre do PT, Requião em momento algum sugeriu apoio ao candidato petista Dr. Rosinha.

Se não rolar a aliança com Osmar Dias, o MDB ameaça lançar candidato próprio.

Coisas da política.

Atualizando: O MDB definiu Requião como candidato ao Senado e deixou para a executiva decidir sobre a suplência e também sobre a coligação para o governo.

, , , , , , , , , , ,

Pré candidato ao Governo, Ratinho Jr diz que tá na hora de mudar quase tudo no PR

, , , , , , , , , , , , , ,

Osmar Dias, e a guerrilha na internet

O deputado federal Luiz Carlos Hauly diz que campanhas eleitorais são importantes porque depuram a alma. Não fica pedra sobre pedra.

Pois é.

Osmar Dias, (ainda no PDT), pré-candidato a governador do Paraná, já começou a entender bem sobre o significado da frase do seu ex-companheiro de partido.

Nas últimas semanas ele tem sido alvo de intenso tiroteio na mídia, em especial nas redes sociais, sobre sua ligação com o PT.

Ele sempre é explorado com aquela tradicional foto, entre Lula e Dilma. Todos levantando as mãos em sinal de vitória. Em outros ele aparece sempre com a polêmica senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT.

No facebook até criaram um perfil só para relembrar estes momentos Osmar/PT. Chama-se Dias Piores para o Paraná.

A ação, óbvia, é planejada e acredito, não de graça.

Quem seriam os financiadores?

Façam suas apostas.

, , , , , , , , , , , , , ,

Osmar Dias e Requião juntos novamente. Agora só falta vaca voar

Já disse o filósofo de que na política só não havia visto vaca voar.

Pois bem, falta pouco. (mais…)

, , , , ,

“O Urtigão nunca entrou na toca”

“Eu fiquei sete anos em paz fora da política. Agora, que estou de volta, a situação é a seguinte: quando você tem defeito, as pessoas aumentam; se você não tem defeito, as pessoas inventam. Mas acho que a política tem que mudar. Eu estou sendo bem recebido nos lugares que eu vou. Na verdade, eu tenho caminhado pouco porque tenho que ir de carro, eu não tenho helicóptero, eu não tenho cargo no governo. Até disseram: o Urtigão saiu da toca. Na verdade, o Urtigão nunca entrou na toca, eu estou sempre à disposição. A minha dúvida para o próximo pleito é a mesma dos eleitores. Eu não tinha facebook, instagram e nada disso. Agora, tem movimentos que estão surgindo que não estão muito claros. Se me perguntar como serão as eleições do ano que vem eu não saberei dizer, para mim ainda é uma incógnita.”

Osmar Dias, em entrevista ao jornalista Guilherme Marconi, da Folha de Londrina

, , , , , ,

Duas festas e uma dúvida para Osmar Dias

Do Zé Beto
Ciro Gomes completa 60 anos e a turma do PDT faz festa no diretório nacional no dia 07 de novembro. Lula da Silva recebe os parabéns pelos 72 anos que completa amanhã em Montes Claros, Minas Gerais. Os dois são presidenciáveis. No Centro Cívico um venenoso quer saber se o ex-senador Osmar Dias vai às duas comemorações.

, , , , ,

Estudo mostra que menos de 30% dos partidos renovam suas lideranças

Do Transparência Partidária

Estudo encomendado pelo Movimento Transparência Partidária apresenta panorama sobre a oxigenação de agremiações partidárias brasileiras  

O conceito de democracia não é unanimidade entre os Cientistas Políticos, mas é consensual que para o aprofundamento desse sistema haja alternância de poder. Com o objetivo de entender a média de renovação nas cúpulas dos partidos políticos brasileiros, o Movimento Transparência Partidária anuncia a publicação do estudo Oxigenação dos Partidos Políticos: Executivas e Diretórios Nacionais.

A pesquisa analisou a composição das Executivas Nacionais e dos Diretórios Nacionais de todos os partidos políticos brasileiros já registrados, em um período de dez anos (2007-2017). Entre os achados identificados pelo movimento está a baixíssima rotatividade entre lideranças da Executiva, cuja média é de 24%. (mais…)

, , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Veja a carta de Palocci ao PT. Ele confirma e acrescenta tudo

Veja, na integra, a carta de Antonio Palocci ao PT

, , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Tá insatisfeito? A renúncia pode ser o caminho

E o vereador de Londrina Jamil Janene (PP), principal aliado do prefeito Marcelo Belinati, do qual ganhou a vaga na Câmara quando este convidou dois vereadores para o primeiro escalão da Prefeitura, disse ao ex-vereador Célio Guergoleto que estaria insatisfeito na Casa de Leis. Que estaria lá para ajudar o prefeito.

Jamil Janene, na legislação passada, fez de tudo e mais um pouco para impedir que a planta de valores fosse revisada.

Agora, no governo, faz de tudo para o aumento brutal do IPTU.

Mas é aquela coisa né vereador, se V.Excia está tão insatisfeito com a Câmara e sua volta, sempre há a possibilidade de renunciar ao mandato né.

Simples assim.

 

, , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Conversa Política com Paulo Briguet. Da esquerda para a Direita com algumas escalas

, , , , , , , , , , , , , , , , ,

Lula e o carinho da guerreira em Curitiba

do blog do Fernando Tupan

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou ontem em Curitiba e se hospedou na casa de Mirian Gonçalves (PT), ex-vice de Gustavo Fruet (PDT), em um condomínio de luxo, no bairro do Campo Comprido. Lula chegou a cidade por volta das 13h30. Antes de se eleger presidente, em 2002, um dos anfitriões do petista era o professor Lafayete Neves, que cedia o sofá da sala para que ele tivesse um cantinho para pernoitar em Curitiba. Lula decepcionou Neves com os constantes casos de corrupção e o paranaense deixou o partido, anos antes de estourar a Lava Jato.

, , , , , , , , ,
Página 1 de 3123