Pianista londrinense de 79 anos lança livro de composições próprias

da Assessoria

Pianista, organista e professora londrinense, Magdalena Rauch Souto está lançando um livro com 46 composições próprias. Também fez a editoração da obra, que sai pela Gênios do Teclado, editora criada por ela há 38 anos. Magdalena tem 79 anos de idade e estuda piano desde os 6. Mantém uma rotina de dedicar pelo menos cinco horas por dia ao instrumento e, com a pandemia, dá aulas online. A pianista também está ativa nas redes sociais e tem uma conta no Instagram em que disponibiliza alguns vídeos.

Nascida em 1941, o pai tocava violino e a mãe piano. Conta também ter sido influenciada por um primo que tocava piano “super bem”. “Meu sonho era ser pianista. Então meus pais me matricularam no Colégio Mãe de Deus, com a irmã Marie Wilfried Maria. Aos 12 anos, comecei com a Lídia Costa Branco e depois com a Ruth Lemos, que montou o Conservatório Musical de Londrina”. Magdalena graduou-se no Curso Superior de Piano pelo Conservatório, em 1958. Formou-se junto com Terezinha Almeida, irmã do diretor artístico do Festival de Música de Londrina. Desde então, não parou mais de estudar e ensinar. Na década de 1990, fez curso com o próprio Marco Antônio, com certificação da Martin Luther Universitat Halle, em Wittenberg, na Alemanha.

Sua história com o órgão começou na década de 1960, quando se mudou com a família para Arapongas e foi convidada a tocar na Igreja Matriz, num órgão eletrônico. “Comecei a escrever partituras para o instrumento”, conta ela, que manteve os alunos de piano. De volta a Londrina no início dos anos 80, montou escola de música e método de ensino para órgão. A editora Gênios do Teclado publicou vários gêneros – folclore, música clássica e popular do Brasil e de diversos países. Além de transcrição de obras eruditas e populares para órgão e piano. O material é utilizado em conservatórios e escolas de música de várias partes do País.

Os arranjos de Magdalena se tornaram conhecidos de compositores como Tom Jobim, Chico Buarque, Sivuca, Tito Madi e Marcos Vale. Ela gravou seu primeiro CD com obras para piano em 2002 e outro disco em 2011, este no estúdio do pianista e compositor Mateus Gonsales. Sobre o novo livro de composições, conta que se inspirou nas formas musicais como fantasias, minuetos e sinfonias. “Fui escrevendo os textos musicais, dedicados a filhos, netos e alunos”, conta a pianista. Uma das filhas, a professora Miriam Rauch Souto Cruciol, revela que a mãe tem mais obras prontas para publicação. A Gênios do Teclado já lançou 27 volumes para órgão eletrônico, seis volumes para piano, além de duas obras voltadas à educação musical (essas em parceria com Miriam Cruciol).

Miriam prepara um canal da pianista no YouTube para 2021, quando Magdalena completa 80 anos. “Fico muito feliz de ver minha mãe trabalhando intensamente, publicando livro sozinha. É uma pessoa de muita autonomia”, comemora. A filha, que começou no piano tendo aulas com a mãe, em 1975, conta que Magdalena costuma estudar uma média de duas horas do instrumento pela manhã, três horas à tarde e também um pouco à noite. “A síndica do prédio dela, a Safira, encomendou um concerto na sacada neste final de ano”, revela.

Deixe uma resposta