Acordo entre diretoria do Londrina e SM Sports mica, e empresa deve continuar no comando do time

Qualquer torcedor do Londrina, minimamente atento, já percebera que o rompimento do contrato entre o time e o gestor do futebol do LEC, o empresário Sérgio Malucelli, dono da SM Sports seria dramático, se é que aconteceria.

Pois bem, depois de longas e intermináveis reuniões entre as partes o Londrina aceitou ficar com uma dívida que passaria de 13 milhões de reais para romper o contrato que terminará em 2025.

Mas, em conversa com personagens envolvidos, dizem que o que se acorda verbalmente nas reuniões, acaba indo diferente para o papel.

Portanto, a diretoria do Londrina não deve aceitar o que foi escrito que está diferente do que foi acordado.

Hoje, durante entrevista à Rádio Paiquerê, Malucelli, com seu jeito peculiar de se expressar, disse que não entendia o motivo da demora para a assinatura do acordo. Disse, inclusive, que quarta-feira já queria estar em Curitiba.

Seriam meias verdades? Ou meias mentiras?

A dúvida é pelo óbvio. Nem um lado nem o outro se suportam mais. Num litígio destes, ambas as partes precisam ceder. A questão é que, como num divórcio, ambos vão perder um pouco. O problema é quando um lado não admite perder nada. E desde sempre dá para saber qual a parte que sempre cede. E este lado cansou de ceder por saber exatamente o tamanho da jaca futura.

Compartilhe
Leia Também
Comente

Um comentário

  1. Santos

    tenho dó do Londrina com esses personagens.
    Deus salve o LEC.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios