Futuro ministro da Educação pede demissão antes mesmo de tomar posse. Expressionante

Governo Bolsonaro é mesmo uma inovação.

Escolhido para o Ministério da Educação, Carlos Alberto Decotelli  pediu demissão antes mesmo de assumir o cargo efetivamente. Hoje ele enviou sua carta de demissão ao presidente Jair Bolsonaro. Ele deixa o Ministério da Educação, cargo para o qual foi nomeado na última quinta-feira (25), mas não chegou a tomar posse.

A decisão se dá após uma série de polêmicas em torno do currículo de Decotelli. Instituições como a argentina Universidade de Rosário e a alemã Universidade de Wüppertal negaram que ele concluiu seu doutorado e pós-doutorado, respectivamente. Na noite desta segunda-feira (29), a Faculdade Getúlio Vargas (FGV) também negou que Decotelli integrou o time de professores e pesquisadores da instituição.

2 thoughts on “Futuro ministro da Educação pede demissão antes mesmo de tomar posse. Expressionante

  • 30/06/2020, 15:54 em 15:54
    Permalink

    Sem chance, Bolsonaro. Menos pior que o Weintraub – da seita olavista – e o Decotelli – das hoster armadas – não será encontrado. O problema é o currículo. Se o cara tem gabarito pra ser ministro, ele não vai querer pôr no currículo que foi ministro do Bolsonaro! Quá! Quá! Quá!

    Resposta
  • 30/06/2020, 20:24 em 20:24
    Permalink

    E o homem veio ao Paraná
    Ministro fraudador de Curriculum
    https://contraponto.jor.br/decotelli-deu-aulas-para-as-maiores-cooperativas-do-parana/

    Castro
    convidado inclusive como conselheiro das 3 Batavo , Castrolanda e Capal

    http://www.sintracoosul.com.br/noticia/2339/cooperativas-tracam-expansao-a-prova-de-crise

    Com esforço educacional, as cooperativas orientam técnicas produtivas e estimulam trocas de informações, fatores que ajudam a melhorar a qualidade de vida da comunidade em suas zonas de abrangência, sustenta Carlos Alberto Decotelli, professor de Agronegócio do Instituto Superior de Administração e Economia da Fundação Getúlio Vargas (ISAE/FGV). “Sem as cooperativas, o agronegócio seria fraco e desorganizado”, diz.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: