“Londrina não é uma ilha”, diz Secretário de Saúde

O secretário Beto Preto entrega 57 novos leitos no HU de Londrina, para pacientes da Covid-19,  Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Hoje de manhã, ao inaugurar a nova ala de UTIs e leitos do Hospital Universitário de Londrina dedicada a atender pacientes do covid-19, o Secretário Estadual de Saúde, Beto Preto, disse que Londrina não é uma ilha e precisa continuar aperfeiçoando o enfrentamento à pandemia.

Segundo ele em março havia 41 leitos de UTI no HU e no final do mês serão 131. “É um salto de qualidade para o futuro, mas o investimento em número de novos leitos não pode servir de álibi para darmos um passo em falso. Hoje, por exemplo, Londrina está com 79% dos leitos covid ocupados”, disse Beto Preto.

O Secretário se mostrou decepcionado com o índice de adesão ao distanciamento social em Londrina – 38%. Sobre a inclusão de Londrina na suspensão de atividades não essenciais e que provocou muita polêmica, ele disse que o número de leitos não é critério para decidir, há outros fatores que compõem a cesta de informações para a tomada de decisão. “Entre elas o número de mortes em Londrina que estava o dobro da média”, explicou o secretário não descartando a possibilidade de nova suspensão caso os números da cidade e região não melhorem.

5 thoughts on ““Londrina não é uma ilha”, diz Secretário de Saúde

  • 20/07/2020, 15:43 em 15:43
    Permalink

    79% dos leitos de UTI ocupados? Percentual bem acima do mostrado pelos boletins da Prefeitura. O Município poderia comentar porque a divergência.

    Resposta
  • 20/07/2020, 15:44 em 15:44
    Permalink

    Corrigindo: 70% dos leitos para Covid, e não exclusivamente os de UTI. Mesmo assim, está alto.

    Resposta
  • 20/07/2020, 16:03 em 16:03
    Permalink

    Ainda bem que tem gente sensata no governo estadual. E Londrina deveria estar com o comércio fechado ainda, pois começou a respeitar o decreto estadual uma semana depois. O número de mortes em Londrina deve ser estudado. Maringá tem muito mais casos e não tem nem metade das mortes se comparado a Londrina, Cascavel tem quase o dobro de casos a mais que Londrina e muito menos mortes, alguma coisa está errada aqui em Londrina. Estamos usando algum medicamento diferente em relação a estas cidades? Não estamos usando algum medicamento que outras cidades estão usando? Nossos profissionais de saúde não são tão preparados quantos os de outras cidades? O nossos idosos são mais fracos que o de outras cidades? O que acontece?

    Resposta
  • 20/07/2020, 18:01 em 18:01
    Permalink

    Não adianta ter um monte de UTI disponível se não tiver pessoal e, também, medicamentos para intubação. Uma pessoa que trabalha em um hospital de referência para a covid na região me disse recentemente que o estoque de relaxantes musculares e anestésicos, medicamentos essenciais para manter alguém intubado na UTI, estava bem baixo, preocupantemente baixo.

    Resposta
  • 20/07/2020, 18:46 em 18:46
    Permalink

    O Secretário da Saúde está decepcionado com os 38% de londrinenses que aderiram ao distanciamento social? Beto Preto, em se tratando de Londrina, esses 38% já representam um avanço no nível civilizatório de Londrina. Explico. Aqui Bolsonaro se elegeu, no segundo turno, com 80% dos votos e seu adversário petista ficou com os 20%, na verdade um pouco menos, restantes. Se temos 38% de londrinenses praticando o distanciamento social, então o Bolsonaro tem 18% de traidores na cidade. Quá! Quá! Quá!

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: