Tratoraço na Assembleia e projeto de lei que abre caminho para a privatização das escolas é aprovado. Professores mantém greve

Da Assessoria

Em duas sessões realizadas de forma híbrida na tarde desta terça-feira (4), a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) finalizou a votação do Projeto de Lei 345/2024, de autoria do governador Ratinho Jr. (PSD), que autoriza a privatização de escolas da rede estadual do Paraná. Mais uma vez, governo e sua base aliada ignoraram os protestos de professores(as), funcionários(as) de escola, estudantes e comunidade, que têm se posicionado contra a proposta e denunciado as ilegalidades do projeto.

O texto aprovado, em segunda e terceira votações, foi um substitutivo apresentado pela ala governista. Foram 38 votos favoráveis e 13 contrários. A nova redação mantém a base do texto original, sem grandes mudanças. A principal alteração é a inclusão de um anexo que lista 204 escolas que poderão ser privatizadas neste momento. O recurso permite que o governo amplie o número de escolas a serem privatizadas enviando novas propostas de mudança apenas do anexo.

Impedidos de entrar no prédio da Alep, uma multidão de educadores(as) e estudantes acompanharam a votação pelo áudio do carro som na Praça Nossa Senhora de Salete. Apenas um grupo que ocupou as galerias do Legislativo no dia de ontem permaneceu no plenário. O local estava praticamente vazio, já que a maioria dos(as) parlamentares participaram da sessão de forma remota, fugindo da população e da pressão popular.

GREVE CONTINUA

A greve que teve início nesta segunda-feira (3), com um grande ato em Curitiba, com mais de 20 mil pessoas, e mobilizações em todo estado, continua. Nesta quarta-feira (5), os(as) educadores(as) realizam novos atos em forma de “aulas públicas”  para protestar contra a venda das escolas e reivindicar a abertura de uma mesa de negociação sobre os itens da pauta da greve.

Em Curitiba a mobilização dos educadores(as) da capital e da região metropolitana será em frente à Secretaria da Educação (Av. Presidente Kennedy, 2511, Guaíra, Curitiba). Já no interior, os protestos serão em frente aos Núcleos Regionais de Educação (NRE).

Para a APP-Sindicato, apesar do resultado da votação, o movimento é vitorioso porque a categoria saiu para a luta e enfrentou com muita coragem todo o assédio, ameaças e as práticas antissindicais adotadas pelo governo e pela Seed nos últimos dias. A avaliação considera também o apoio da maioria do povo paranaense aos(às) educadores(as), contra o projeto do governador e em defesa da escola pública.

Compartilhe
Leia Também
Comente

Um comentário

  1. Carlos Marques

    Há males que vêm pra bem. Essa decisão do bolsonarista Ratinho Jr. marcará o início do fim da hegemonia eleitoral neofascista no Paraná. Não haverá fake news que salve a pele desses neoliberais entreguistas.

    1. Glaucia

      Sinto dizer, sinto lembrar que a maioria do eleitorado paranaense e de Londrina votaram no Bozo e no Ratinho, inclusive servidores públicos do Estado, reelegendo o Ratinho inclusive.
      Escolhas políticas tem consequências.
      E as coisas irão piorar muito, porque a extrema-direita crescerá no mundo, e nós, os democratas que se espelham no espírito republicano seremos silenciados, ameaçados.
      A democracia morrerá pelas mãos do eleitorado.
      Pobres gerações futuras.
      O futuro é sombrio politicamente, ambientalmente.

  2. Genildo

    “parlamentares participaram da sessão de forma remota, fugindo da população e da pressão popular.”
    Já já aparecem novamente, alguns contam com o esquecimento da população, outros pedindos votos para a prefeitura de Londrina e na pior das hipoteses, aparecem pedindo votos para a reeleição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios