As voltas que a política dá

Por Antonio Santiago

Na década de 80, Londrina era a cidade mais politizada do Paraná. Símbolo de resistência política. E três jovens se destacavam. Os médicos Márcio Almeida e Luís Eduardo Cheida e o jornalista Tadeu Felismino.

Todos anti-belinatistas ferrenhos, todos de esquerda.

Márcio era do PCB clandestino e atuava no MDB, assim como Tadeu. Já Cheida, saiu do MDB e participou da fundação do PT.

Desse trio, todos apostavam, que pelo menos um. seria governador do Estado.

Cheida foi prefeito da cidade, Márcio virou deputado estadual e Felismino se elegeu vereador e presidente da Câmara. Mas como a política é dinâmica e pragmática os “meninos” seguiram por caminhos diferentes.

Márcio, deixou Marx e Lenin de lado, virou tucano e abraçou Beto Richa nos seus governos.

Cheida se elegeu deputado pelo PMDB e depois foi secretário estadual de meio ambiente no governo Requião.

Tadeu deu um tempo na política, pelo menos explicitamente, e agora retorna nos braços do belinatismo que ele tanto dizia combater.
Fazendo esse retrospecto fica fácil entender porque a política londrinense encolheu, deixando todos de “boca aberta”.

Por Antonio Santiago, jornalista

3 comentários em “As voltas que a política dá

  • 01/02/2019, 11:53 em 11:53
    Permalink

    Sem contar os comunistas londrinenses que viraram comunistas arrependidos!!! Quá! Quá! Quá!

    Resposta
  • 01/02/2019, 11:53 em 11:53
    Permalink

    Caro Santigo, boa análise. Faltou apenas citar que Márcio Almeida, PCdoB, foi Secretário de Saúde de Antonio Belinati no primeiro mandato. Depois Cheida, Tadeu e Márcio participaram do Governo Beto Richa do PSDB. Cheida foi Secretário Meio Ambiente, Márcio foi assessor na Secretaria de Saúde do Paraná e Tadeu estava no IAPAR e agora com Marcelo Belinati. Eita jovens que não mudaram o mundo. No entanto, mudaram várias vezes de lado. Que vergonha ter um passado assim.

    Resposta
    • 02/02/2019, 11:11 em 11:11
      Permalink

      Márcio Almeida foi do PCB, Partido Comunista Brasileiro, o Partidão.
      Nunca do PCdoB como Elza Correia.
      O grupo Poeira era uma Fração Estudantil do PCdoB.

      Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: