Como está a Sercomtel? Uma análise para ser mastigada no fim de semana

Pelo jeito vai bem.
Sai de um lucro anunciado pelo ex-gestor Christian Schneider (hoje na equipe do ministro de Comunicações Gilberto Kassab – PSD – no Postalis) para um prejuízo anunciado com pompa e circunstância pelo prefeito Marcelo Belinati e o novo presidente da empresa Luiz Adati de 800 milhões de reais.
Daí aquele processo que estava administrado na ANATEL ao lado da mega OI é colocado em pauta e todo mundo vê a crise de frente: desde 1998 quando o condenado ex-prefeito Antonio Belinati (tio do atual alcaide) requereu um empréstimo de R$ 100 milhões de reais da então rica empresa em 1998 (um ano após o fim do monopólio das telecomunicações). No balanço da empresa há uma dívida de R$ 24 milhões de reais apontado como sendo da Prefeitura e sócia da empresa – mas ninguém cobra(http://bit.ly/2emDZJc).

Nos corredores da Câmara Municipal, já circulam os números da telefônica, entregues oficiosamente pelo servidores da empresa, que mostram que a situação é difícil, mas não tão ruim quanto Luiz Adati diz, mesmo tendo seu irmão Beto Adati, sido presidente do Conselho de Administração da empresa na gestão Alexandre Kireef (a mesma de Christian Schneider).
A folha de pagamento foi reduzida por um Programa de Demissão Voluntária (contestada hoje na Justiça pelos mesmos que o adotaram) aprovado pelo Conselho de Administração de R$ 2.038.537,38 com 607 funcionários em janeiro de 2013 para 474 empregados em janeiro de 2015 com custo de R$ 1.793.856,74, retornando a R$ 2.315.102,68 em janeiro de 2017 com os 474 empregados. Se ficassem os 607 funcionários de 2013 a conta estaria em quanto? Mais de 3 milhões por mês com certeza.
Segundo estes mesmos dados, a Sercomtel teria faturado de janeiro a julho deste ano quase R$ 136 milhões e o prejuízo acumulado seria de perto de R$ 5,7 milhões.
Pelo andar da  carruagem, as projeções dos gestores do quadro próprio da empresa indicam que a empresa deve encerrar 2017 com faturamento de R$230 milhões e prejuízo próximo a  R$ 8 milhões.
Ou seja – metade do prejuízo de 2016, que foi de R$ 16 milhões, e muito abaixo das contas do atual presidente da Sercomtel, que afirmou categoricamente que o prejuízo da operadora seria de 800 milhões de reais.
Teria sido por isso que a equipe do prefeito Marcelo Belinati derrubou o requerimento de convocação de Luiz Adati para se explicar na Câmara Municipal – os dados oficiais não sustentam a tese de 800 milhões de prejuízo (http://bit.ly/2etcCRF).
Por que então se insiste nisso?
O governo Belinati vendendo o cenário do quanto pior “melhor” na Sercomtel está na verdade criando um sentimento de empatia junto à sociedade para levar a cabo sua proposta de privatização, seja por caducidade ou falta de investimento dos sócios Prefeitura Municipal de Londrina ou Copel.
O prefeito Belinati ao afirmar, que a empresa deve 3 vezes o seu valor contábil, desconsidera os ativos intangíveis como a própria marca e sua clientela, sem contar, por exemplo, os inúmeros ativos que não estão atualizados – se o forem gerarão desembolso da empresa com impostos (ganho de capital). Por exemplo, na contabilidade da Sercomtel o imóvel da Avenida Higienópolis está registrado como tendo valor de R$ 3 milhões, mas o mercado imobiliário sabe que vale entre 21 a 30 milhões.
CONSULTORIA
A tal consultoria empresarial que foi anunciada sem licitação na rádio CBN e já deu dor de cabeça a Luiz Adati por abertura de inquérito pela promotora Sandra Koch pode apontar o que: Se a consultoria concluir que a operadora não é viável?  Ou recomendar que a Copel saia do negócio? Ou que para sustentabilidade/viabilidade da empresa serão necessários 500 milhões e não os 120 milhões projetados.
Talvez esta seja a forma pela qual a gestão de Belinati no futuro justifique a necessidade do fim da Sercomtel, dizendo: “Não sou eu quem está dizendo isto, mas uma renomada consultoria empresarial contratada pela Copel”.
A mesma estatal paranaense que comprou as ações da empresa em 1998 com o seu tio Antonio Belinati (hoje valeriam quase 1 bilhão de reais) e tendo sua tia Emilia Belinati como vice governadora do Paraná.
A imagem da campanha publicitária da Copel mostra o descompasso entre os sócios, já que a Sercomtel vende seu combo de telefone ao lado da internet banda larga da COPEL em cidades onde não tem rede própria.

3 comentários em “Como está a Sercomtel? Uma análise para ser mastigada no fim de semana

  • 01/09/2017, 11:19 em 11:19
    Permalink

    e detalhe, em londrina NÃO TEM INTERNET COPEL, NEM PLANOS PRA ISSO, conforme linkedin do seu diretor Sergio Milani

    Resposta
  • 02/09/2017, 21:39 em 21:39
    Permalink

    A ANATEL não compreende que o acionista majoritário deva para a Sercomtel e não pague, mesmo com a ameaça de caducidade. Estão apostando na COPEL, mas se ela aportar e o município não, ela vai assumir o comando da empresa e a Diretoria vai mudar. Sabemos da honestidade do Senhor Presidente, mas quando tem o dedo de um certo bonecão federal, as coisas mudam. Adati, não escute alguns políticos, trabalhe com fé e ousadia, tem pessoas que estão interessadas no que o Senhor pode oferecer ($) e não em quem o Senhor é! O desconhecimento em gestão pública não afeta, pois o quadro é extremamente competente, até o jurídico que andaram colocando a competência em cheque é extremamente qualificado e faz milagres diante das decisões políticas equivocadas tomadas por gestores e diretores. Cuidado, mas boa sorte. Não esqueça que o mano fez parte do Conselho e todas decisões que hoje chama de equivocadas teve a anuência dele. Olhar pra frente e acreditar nos funcionários é a melhor solução.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: