Delator da Operação Publicano dançou e tem benefícios cortados

O auditor delator tanto fez que acabou dançando. Foi rescindido o acordo de delação premiado do delator da Operação Publicano, Luiz Antonio de Souza. A decisão foi do juiz Juliano Nanuncio, atendendo ao pedido do Ministério Público porque o auditor teria praticado extorsão contra outros envolvidos no esquema para que não fossem delatados. Em uma das chantagens, o valor teria passado de R$ 1 milhão. A decisão suspende os benefícios do auditor e da irmã dele, Rosangela Semprebom. Fica mantida a devolução dos bens avaliados em R$ 40 milhões para ressarcimento do erário, pagamento de pena pecuniária (em dinheiro) e das custas processuais referente às ações da Publicano.

Deixe uma resposta