Esquenta a disputa pela presidência da Federação das Indústrias do Estado do Paraná

A eleição para o comando da Federação das Indústrias do Estado do Paraná vai acontecer no segundo semestre. E haverá barulho. Ocorre que o atual presidente, Edson Campagnolo, está quebrando um acordo firmado na última eleição. Na ocasião estavam na disputa três candidatos: Campagnolo, Carlos Walter e o deputado Ricardo Barros, que na época era Secretário da Indústria do Paraná.

Para impedir que Barros ganhasse força os grupos que apoiavam os outros dois candidatos se uniram, definiram o nome de Campagnolo, mas acordaram entre si que, vencendo a eleição, o estatuto da entidade seria mudado e não haveria mais reeleição.

Campagnolo assumiu a Fiep e… veja bem, não quer mais deixar o cargo, quebrando o acordo firmado.

Veja abaixo a carta que foi enviada para os industriais do Paraná pelo presidente do Sindimetal de Londrina, Valter Orsi:

Londrina, 04 de maio de 2015.

Prezado Empresário, 

Após a última reunião ocorrida na Fiep, sinto-me no dever de reportar-me aos Empresários para discutir e esclarecer sobre a próxima eleição desta entidade.

Como todos acompanharam, quando o atual Presidente da Fiep, Edson Campagnolo, lançou-se candidato, teve o meu apoio e de muitos outros diretores.

Unimo-nos em torno de um projeto, de conceitos éticos. Naquele momento acordamos vários compromissos a serem cumpridos.

Lembro-me como se fosse hoje, e é possível verificar por meio de matérias de jornais e sites de notícias, vários compromissos assumidos pelo então candidato Campagnolo, dentre eles a reforma do Estatuto da Fiep e o compromisso de NÃO REELEIÇÃO. Fizemos até um livreto com o Planejamento de Gestão, onde constavam tais compromissos. Inclusive é possível visualizar o livreto de campanha do então candidato Campagnolo por meio do link http://pt.slideshare.net/SindimetalLondrina/caderno-campanha-campagnolo-2011-2015.

Os anos passaram. O presidente Edson Campagnolo cumpriu seu papel à frente da Fiep e é hora de seguirmos em frente. É chegada a hora de nova eleição. Os que acompanharam vão se lembrar que um ponto certo e resolvido para este processo eleitoral é da não reeleição, uma vez que esse foi o compromisso de campanha.

Inclusive, em dezembro, disponibilizei ao Presidente Campagnolo meu nome para presidência da Fiep. Já na reunião de diretoria de março, para oficializar esta informação e dar conhecimento a todos, pedi que o lançamento do meu nome fosse registrado em ata. Meu intuito foi dar um “pontapé” inicial no processo eleitoral, e também estimular que outros diretores também disponibilizassem seus nomes. Assim, unidos, cumpriríamos com o que foi prometido e escolheríamos um nome de consenso entre todos.

Mas, infelizmente, o Presidente Campagnolo não cumpriu algumas de suas promessas: ainda não foi feita a reforma do Estatuto da Entidade. Além disso, para surpresa geral, Edson Campagnolo lançou-se novamente candidato a Presidência da Fiep.

Oras! Com a quebra dessa promessa de campanha, que exemplo estamos dando para a sociedade? Que exemplo estamos dando aos milhões de brasileiros que foram às ruas cobrar ética nas relações políticas e empresariais?

As entidades empresariais cobram o cumprimento das promessas e acordos. Mas que representatividade terão os líderes da Fiep se não cumprirem os acordos firmados dentro da própria Casa? Não podemos permitir essa incoerência! Não podemos repetir dentro da entidade, a falta de compromisso que criticamos na política. Ainda está em tempo de não deixar esse desrespeito acontecer!

Embora decepcionado, os últimos acontecimentos não afetaram e não afetarão minha esperança por uma entidade que continue sendo exemplo de credibilidade, comprometimento e ética.

É hora de lembrarmos quão importante é o exercício da democracia, mas não podemos esquecer a representatividade desta entidade no cenário nacional. É preciso trabalhar unidos, em harmonia, prezando unicamente a credibilidade e o bem da Federação.

O CONSENSO, independente de qual seja o nome escolhido, é de extrema importância para que tenhamos uma chapa forte e representativa. É preciso falar a mesma linguagem e trabalhar unidos pelo exercício da ética na Federação.

Meu nome continua à disposição e incentivo que outros nomes surjam. Seja Valter Orsi ou outro empresário, o importante é cumprir com o prometido e fazer valer o que outrora foi acordado.

Unidos pela ética, somos mais fortes. Juntos e com credibilidade, podemos mais!

 

VALTER LUIZ ORSI

Vice-Presidente da Fiep Gestão 2011-2015
Presidente do Sindimetal Londrina

Um comentário em “Esquenta a disputa pela presidência da Federação das Indústrias do Estado do Paraná

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: