Hauly espera que Dilma não seja revanchista e sancione o Dia Nacional do Macarrão

Pronto, o mundo gastronômico tem o que comemorar.

Já está nas mãos da presidente Dilma Rousseff a lei que tornará o dia 25 de outubro no Dia Nacional do Macarrão.

A lei, que começou a ser gestada em 2004, é de autoria do deputado federal Luiz Carlos Hauly (PSDB) e foi feito a pedido da Associação Brasileira da Indústria Alimentícia.

Todos esperam que a presidente Dilma, mesmo sendo do PT, e curtindo uma picanha, não seja revanchista e sancione a lei que irá mudar o paradigma das massas no país.

 

9 comentários em “Hauly espera que Dilma não seja revanchista e sancione o Dia Nacional do Macarrão

  • 14/11/2014, 16:10 em 16:10
    Permalink

    Parabéns – agora a SELMI não vai para Rolândia?

    Resposta
  • 14/11/2014, 16:34 em 16:34
    Permalink

    Se não tivesse saído aqui neste destemido e intrépido Paçoca com Cebola, que só publica o verdadeiro, eu diria que é mais uma piada deste secretário de finanças, digo, deputado federal Luiz Carlos Haully. Só falta o deputado exigir que o dia 26 de outubro seja Feriado Nacional, com fechamento de todo comércio, inclusive as padarias.
    Como gosto de história lembro que essa massa feita com farinha de trigo, água, sal e às vezes alguém coloca ovos foi invenção dos chineses há mais de 4 mil anos. Marco Polo surrupiou a receita daquilo que era o “mata fome dos pobres”, na época e, a Itália o adotou de tal forma que mudou sua história.
    Seria bem melhor que o deputado (por enquanto)lutasse pelo subsídio na importação do trigo ou facilitar empréstimos a juros baixos aos nossos agricultores para diminuir o preço do nosso macarrão e o pão de cada dia.

    Resposta
    • 14/11/2014, 20:23 em 20:23
      Permalink

      Naim, igual dia do corintiano.
      Tem o dia do palmeirense.
      Quais foram os deputados e senadores que aprovaram?
      Todos desde 2004, oras…
      Do PT de lula ao PT de dilma, incluindo vegans, macarroneiros e arrozeiros.
      Não crussifica só o teu desafeto.

      Resposta
  • 14/11/2014, 17:20 em 17:20
    Permalink

    Esse brincalhão é o mesmo que pediu que quer destronar a Dilma.

    Resposta
  • 14/11/2014, 20:10 em 20:10
    Permalink

    O próximo projeto do deputado federal profissional deve ser a instituição do Dia da(o) Coxinha!!!

    Resposta
  • 14/11/2014, 21:02 em 21:02
    Permalink

    olha, acho q vou guardar minha opinião… por pura responsabilidade jurídica

    Resposta
  • 14/11/2014, 21:59 em 21:59
    Permalink

    Que lei importantíssima, vale um mandato. Além de quebrar o Estado com sua fabulosa atuação como secretário, tem alguma útil que ele fez????

    Resposta
  • 15/11/2014, 12:23 em 12:23
    Permalink

    Quantos coxinhas stalinistas do PT escrevem em Londrina?
    São remunerados pelo Petrolão?
    Ou pelo Alberto Youssef?

    Olha o catequiza do André Vargas: http://www.folhapolitica.org/2013/05/pt-treina-militantes-virtuais-para.html
    Já ouviu falar em cabonet? É a contração de cabo (eleitoral) com net. O neologismo saiu das coxias na eleição. Os cabonets foram contratados para bombar seus candidatos e detonar adversários.

    No primeiro turno, receberam, em média, de R$ 1.300 a R$ 2 mil por mês. Quem participou da eleição estima que PT gastou entre R$ 30 milhões e R$ 40 milhões nesse tipo de propaganda. No segundo turno, os melhores chegaram a levar até R$ 10 mil. Ainda não há estimativa de despesas na última fase.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: