Londrinenses faturam R$ 10 mil em maratona hacker em SP

O premiação é referente a classificação para próxima fase do desafio. R$70 mil ainda estão em disputa com outras duas equipes da capital

No último final de semana um time de cinco londrinenses venceu a primeira etapa da “Radartona”, um concurso de projetos que tem por objetivo disponibilizar o acesso a base de dados dos equipamentos de fiscalização automática de trânsito (radares). A cidade de São Paulo dispõe de aproximadamente 900 radares, utilizados para o monitoramento do tráfego de veículos, estes equipamentos são utilizados para fiscalizar infrações de trânsito, mas existe um potencial ainda inexplorado, em especial voltado à soluções que promovam a melhoria das políticas de mobilidade urbana e de segurança no trânsito.
A categoria que o grupo de Londrina participou foi na “Solução API” onde o resultado é a contratação da resolução tecnológica que melhor conclua o seguinte desafio: “Como organizar os dados obtidos por meio de equipamentos de fiscalização eletrônica de trânsito, no município de São Paulo, e disponibilizá-los para utilização pela Administração Pública e pela comunidade em geral?”. O grande vencedor será contratado para implementação da solução final.
O time pé vermelho é composto por Aluisio Silva Junior, Relações Públicas e Especialista em Governo pela FGV-SP e mais 4 alunos da Unifil, Bruno Coppo e Bruno Carvalho, ambos da Engenharia Civil. Completam o time, os desenvolvedores Rafael Nonino (front end) e Victor Hugo Negrisoli (back end), alunos do último ano de Ciência da Computação.
A proposta que levou os londrinenses para final visa facilitar o acesso aos dados por meio de uma plataforma de acesso amigável e que permita vários cruzamentos destas informações contribuindo para basear as politicas de mobilidade, obras, integração com outros bancos de dados públicos.
“A utilização destes registros dos radares devem embasar novas soluções para o trânsito das grandes cidades, não são somente infrações, temos que mudar esta visão, os dados podem ajudar a diminuir congestionamentos, atropelamentos e consequentemente salvar vidas”, afirma Aluisio Silva Junior.
Agora a equipe tem uma semana para avançar no protótipo e retornar à capital paulista para apresentação na próxima segunda feira, 18, às 14h onde será conhecido o vencedor.
A competição é uma iniciativa da Prefeitura de SP, por meio das Secretarias de Mobilidade e Transporte e Inovação e Tecnologia, do Mobilab+, da Prodam, da CET, da SPTrans e tem como parceiros a Iniciativa Bloomberg para Segurança Global no Trânsito e o Banco Mundial.

Deixe uma resposta