Ministério Público desmonta “esquema” que funcionava no atletismo de Londrina

Fazia alguns anos que este tema corria nos bastidores do esporte de Londrina mas ninguém colocava o dedão na ferida.

Bom, agora o Ministério Público abraçou a causa.

Veja a matéria no Jornal de Londrina, do repórter Fábio Calsavara:

O Ministério Público em Londrina protocolou uma ação por improbidade administrativa contra pessoas ligadas ao atletismo na cidade. A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público acusou o servidor da Fundação de Esportes de Londrina e ex-presidente do Instituto de Esporte e Cultura de Londrina (IECL) José Eugênio Zanineli, o treinador Gilberto Miranda – que comanda a equipe de atletismo da cidade – e outros três por desvios de verbas públicas ocorridas entre 2005 e 2011. O montante corrigido ultrapassa os R$ 883 mil.

De acordo com a ação, assinada pelos promotores Renato de Lima Castro e Leila Schimiti, o instituto em questão era legalmente uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip). Esse fato deveria ser um impeditivo para que o dirigente da organização, Zanineli, também ocupasse um cargo público na FEL, órgão que fazia repasses financeiros diretos à Oscip. Não foi o que aconteceu, de acordo com a ação. (leia mais)

8 comentários em “Ministério Público desmonta “esquema” que funcionava no atletismo de Londrina

  • 27/11/2014, 13:51 em 13:51
    Permalink

    Esquema chinfrim, tal qual montada em toda a prefeitura administrada ERRATICAMENTE pelo Barbosinha Homero Neto.
    Que vergonha para Londrina.
    Roubaram até Atletismo?
    Imagina o que fizeram no desvio das outras empresas e secretarias – por isso o Dinocarme está preso em domicílio na city.

    Resposta
  • 27/11/2014, 18:12 em 18:12
    Permalink

    Certa ocasião ouvi que “malandro que é malandro tem que fazer estágio em Londrina e sair apto pra enfrentar o mundo”. Exemplo maior é o Beto Youssef.
    Agora aparece servidor publico municipal, José Zanineli que deitou e rolou na Fundação de Esportes por seis anos enquanto esteve na presidência do órgão. E ele não estava só. Com mais três elementos desviaram mais de R$ 800 mil, usando uma Oscip, da qual Zanineli fazia parte o que é irregular. E tem mais: outro denunciado, o Miranda embolsou grana e usou nepotismo dentro da Oscip empregando irmão e cunhada.
    Pode até ser um esquema chinfrin como escreveu lá em cima o Barbosinha Homero Neto mas poderia ser o iniciou de uma quadrilha no pior estilo petista.

    Resposta
    • 27/11/2014, 22:42 em 22:42
      Permalink

      O Yousseff é de outra velha escola que não tem nada a ver com o petismo. Aliás, o Beto Yousseff na primeira grande encrenca tinha o FHC na presidência e o Lerner (cujo grupo até hoje manda no PR) no governo estadual. Naquele tempo (que foi o tempo também das privatizações tucanas), o Yousseff ajudou a desviar R$ 150 bilhões. Na atual operação Lava Jato, o desvio anda em R$ 10 bilhões. E não foi adiante porque os órgãos de fiscalização no governo petista estão fiscalizando. O sr. me desculpe, mas tem no país um grupo político cuja posição política se resume a acusar mas tem um rabão na corrupção quilométrico: mensalão tucano, roboanel, propinoduto em SP…

      Resposta
  • 27/11/2014, 19:24 em 19:24
    Permalink

    depois perguntam porque a cidade anda nesta merda….quando não é ladrão e imcompetente.

    Resposta
  • 27/11/2014, 22:46 em 22:46
    Permalink

    Os membros do MP devem ter uma motivação especial pra trabalhar. O poder judiciário deve ter um aumento salarial muito acima da inflação que vai consumir um jumbão todo mês das receitas públicas.

    Resposta
  • 27/11/2014, 23:09 em 23:09
    Permalink

    Que surpresa, vamos aguardar a defesa do Professor Zaninelli, mas sempre foi um garoto esforçado, filho de pioneiro londrinense, que essa hora deve estar sofrendo muito com essa noticia.
    Parece que toda a prefeitura está ou esteve contaminada, pelos assessores e servidores dos ultimos prefeitos.
    Como conheço a familia, prefiro esperar que esse moço tenha algo a dizer em sua defesa.

    Resposta
  • 28/11/2014, 11:04 em 11:04
    Permalink

    Momento propício para alongar esta iniciativa do MP , e entrar de cabeça nestes absurdos que tem acontecido na questão de mudanças de zoneamento , pois este viés também poderá resultar em algum fato que mostre a cara desta atual legislatura que até o momento tem atuado sem nenhuma preocupação , apesar de algumas posições absurdas que em outra épocas já teriam outros encaminhamentos. Será que teremos nOvidades ?

    Resposta
  • 02/12/2014, 12:00 em 12:00
    Permalink

    Todas as verdades daqueles que se acham donos dela, são colocadas por motivações diversas. Na ânsia da informação e presença na mídia, pessoas são atacadas e difamadas à pretexto do bons costumes, das virtudes e da caça aos mal feitores. Mas a que ponto isto sempre é verdadeiro e correto.
    Com relação ao Professor Eugênio Zaninelli, um dos funcionários da PML, lotado na Educação e prestando serviços a antiga Ametur e depois FEL, a mais de 30 anos, idealizador, promotor e coordenador de vários eventos de cunho participativo, rendimento e eventos comunitários, alem de ser treinador de atletismo das diversas categoria de Londrina e da Seleção Brasileira, detentor de aproximadamente 400 títulos em todos o níveis, sofre agora pelo excesso de trabalho.
    E importante dizer que esta modalidade nos 80 anos de nossa cidade, vive neste período seu melhor estado de conquistas e representatividade, além de proporcionar através de seus valores agregados o trabalho de responsabilidade social e inclusão social.
    Talvez tenha sido a modalidade que sobreviveu ao longo do tempo, aos obstáculos das administrações esportivas de nossa cidade e das
    constantes crises onde o esportes sofre o primeiro impacto dentro do sistema público,
    O Professor Eugênio Zaninelli nunca participou de nenhum esquema com qualquer pessoa e muito menos foi o cabeça das acusações feitas pelo MP, muito pelo contrário, sempre fez esporte pelo esporte, sempre de pires na mão, sempre colocando dinheiro do próprio bolso para cobrir despesas e prestar contas das verbas conquistadas seja da iniciativa pública ou privada.
    Para que não vive ou não conhece esporte, principalmente em nossa cidade, que não é industrializada, é bom saber que vivemos com a corda no pescoço, numa via de mão unica e sem saber onde chegaremos e se chegaremos, pois o objetivo fim sempre foi o esporte.
    Analise antes das críticas pessoais, antes de atacar.
    Nelson Zaminelli

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: