MPF cobra R$ 19,9 milhões de Ricardo Barros, ex-ministro da Saúde

do Antagonista

O Ministério Público Federal acusou o ex-ministro Ricardo Barros e outros 4 servidores do Ministério da Saúde de favorecer e pagar R$ 19,9 milhões à empresa Global Gestão em Saúde para comprar medicamentos entregues com atraso.

A demora levou à morte 14 pessoas que precisavam dos remédios, exigidos da rede pública por decisão judicial e usados para doenças raras. A Global não tinha autorização para importar os produtos e foi contratada em 2017, por decisão de Ricardo Barros, sem licitação.

Deixe uma resposta