O papel…

Coluna Esplanada/Leandro Mazzini

O Tribunal de Contas da União deve realizar uma ‘auditoria operacional’ no Sistema de Veículos Aéreos da Polícia Federal (Sisvant). Um novo calhamaço com informações sigilosas baixou na mesa do presidente do tribunal, ministro Raimundo Carrero. O TCU já havia realizado uma auditoria no sistema, mas apenas documental.

…e a realidade

O Sisvant conta hoje com apenas duas aeronaves na base de Foz de Iguaçu (PR). Uma na caixa, outra no chão. Os Vants foram comprados de Israel, e profissionais da PF treinados no país do Oriente. O projeto prometia patrulhamento das fronteiras secas do País 24h por dia com 14 aviões não tripulados, quatro bases e 45 pilotos. E hoje… nada.

No ‘ar’

Segundo a assessoria, a “PF optou por ampliar o escopo original”. Constituiu “comissão cujo escopo é o de propor melhorias relativas à modernização da utilização das aeronaves”. O que obrigou aquisição de “outras ferramentas de tecnologia”.

http://opiniaoenoticia.com.br/brasil/fim-do-sigilo-misterio/

Deixe uma resposta