Prefeitura de Londrina, enfim, deixará de parecer um favelão

Enfim Londrina está modernizando o favelão.

Explico: o prédio da prefeitura de Londrina, construído na década de 80, nunca passou efetivamente por uma reforma decente. De lá pra cá foram feitos alguns remendos.

O fato é que nestes mais de 30 anos tudo mudou e os funcionários sofrem demais com a precariedade do prédio. Houve época, no verão, que se jogava água em cima do teto par resfriar o prédio e amenizar o calor.

Poucas são as salas com ar condicionado; a fiação elétrica mais parece uma gigantesca gambiarra.

Por isso que a notícia é boa. Informa o Núcleo de Comunicação da Prefeitura que o prédio passará por reestruturação dos sanitários (com adaptação para pessoas com deficiência); reformada a parte hidráulica e elétrica, que proporcionará economia de energia; serão abertas rotas de fuga de incêndio, que hoje estão comprometidas devido à instalação de salas em locais de circulação de pessoas, será implantado um sistema de captação e reaproveitamento de água da chuva, pensando-se na sustentabilidade ambiental e será montado um auditório com capacidade para 120 pessoas.
A coordenadora do PMAT, Liz Dayane Rodrigues, explicou que as melhorias são necessárias para modernizar a estrutura da Prefeitura e para atender às recomendações e exigências do Corpo de Bombeiros e da Lei de Acessibilidade.  “Para a reestruturação do centro administrativo, a Prefeitura teve que atender as exigências do Corpo de Bombeiros. A lotação máxima estabelecida e o espaço máximo contemplado não contemplavam todos que estão aqui atualmente. Por isso, juntamente com o prefeito, foi feita uma escala de órgãos que precisam estar logisticamente próximos ao gabinete do prefeito, já aqueles que atendem diretamente à população não precisam estar no prédio, como é o caso da Secretaria de Saúde. Hoje, há servidores trabalhando em locais de circulação e as rotas de fuga de incêndio estão comprometidas. Com a modernização estes obstáculos serão sanados”, explicou.
Mudanças de endereço
– Estão atendendo em novo endereço a Corregedoria-Geral do Município, o Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel) e a Secretaria Municipal de Saúde. As secretarias de Defesa Social, Políticas para as Mulheres, Assistência Social, Idoso e o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (IPPUL) precisam ser remanejados até o início das obras de modernização, ou seja, até novembro. Eles não devem voltar ao prédio da Prefeitura depois da reforma.

De acordo com o secretário de Defesa Social, Rubens Guimarães, há cerca de um mês a parte operacional da Guarda Municipal já está trabalhando na Rua Jorge Casoni, n° 2.393, próximo à Villa da Saúde e a parte administrativa da secretaria deve se mudar para a Rua professor Joaquim de Matos Barreto, em frente ao Lago Igapó. O IPPUL e as demais secretarias estão analisando as oportunidades de alugueis

Permanecerão no prédio da Prefeitura – As Secretarias de Gestão Pública, Governo, Procuradoria-Geral do Município e o Núcleo de Comunicação permanecerão juntos com o gabinete do prefeito. Estes terão de fazer a desmobilização a partir de novembro e devem ser realocados durante três meses. A Prefeitura está fazendo um estudo para verificar qual é a viabilidade financeira de se fazerem as obras com os servidores dentro do prédio e de se alugar um imóvel para a mudança temporária.

A praça de atendimento ao público também será modernizada, mas isso não prejudicará o atendimento, pois como existem duas praças, os atendimentos serão remanejados conforme o andamento das obras. A modernização começará em novembro deste ano, pelo segundo andar do prédio e terminará com as melhorias na praça de atendimento.

Novos endereços

Secretaria de Saúde – Avenida Theodoro Victorelli, n° 103, Jardim Helena, em frente ao Shopping Boulevard.

Corregedoria-Geral – Rua José Nogueira Franco, n° 207, no Parque Residencial Alcântara.

Codel – Rua Doutor Elias Cesar, n° 55, 9° andar, no Edifício City Hall Center.

Um comentário em “Prefeitura de Londrina, enfim, deixará de parecer um favelão

  • 25/07/2015, 11:44 em 11:44
    Permalink

    Com R$ 19 milhões do BNDES e R$ 2 milhões do município!

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: