Relembrando a época da Ditadura, servidores são proibidos de protestar na Assembleia

Fotodo G1 Paraná

Ao som “Para não dizer que não falei das Flores”, de Geraldo Vandré, professores de todo o Paraná já se aglomeram nas proximidades da Assembleia Legislativa do Estado. A sessão que vai discutir o projeto do governador Beto Richa que sugere que 33.556 beneficiários com 73 anos ou mais sejam transferidos do Fundo Financeiro, que é arcado pelo Tesouro estadual, para o Fundo Previdenciário, constituído a partir de contribuições dos servidores e do poder público.

Os servidores não aceitam a mudança e dizem que o governador não está cumprindo o acordo feito com eles.

Os professores da rede estadual de ensino entraram em greve hoje.

Em volta da Assembleia a tropa de choque da Polícia Militar cerca o local. A Justiça, a pedido do governo Beto Richa, proibiu o acesso dos servidores ao prédio da Assembleia. Se eles entrarem o Sindicato da Categoria será multado em R$100 mil por dia. Haverá multa também individual para cada pessoa “ousar” entrar na Assembleia.

Você que leu o texto acima deve estar imaginando que o governador do Paraná é o Ernesto Geisel ou Emilio Garratazzu Médici, mas não, o nome do ocupante do cargo é Beto Richa que pertente ao Partido da Social Democracia Brasileira.

Deixe uma resposta