Tribunal de Justiça anula condenação de ex-integrantes do governo Barbosa Neto

O Tribunal de Justiça do Paraná anulou uma decisão de 2014 da 2ª Vara da Fazenda Pública de Londrina que havia condenado o empresário Ludovico Bonato e os ex-secretários do governo Barbosa Neto, Marco Citto e Rogério Lopes, além do diretor da Sercomtel Alysson Tobias.

Relembrando o caso:  Em 2012, durante as discussões sobre a abertura de uma Comissão Processante contra o então prefeito Homero Barbosa Neto, o vereador Amauri Cardoso denunciou uma suposta tentativa de suborno para que ele e outros vereadores votassem contra a abertura da CP. Barbosa Neto era acusado de improbidade administrativa. A CP foi aberta e o mandato dele foi cassado.

Na época o GAECO prendeu o então vereador Eloir Valença (PHS), o chefe de gabinete da Prefeitura de Londrina, Rogério Lopes Ortega, e o diretor de participações da companhia telefônica Sercomtel, Alysson Tobias de Carvalho acusados do crime.

 

 

 

3 thoughts on “Tribunal de Justiça anula condenação de ex-integrantes do governo Barbosa Neto

  • 21/02/2020, 11:50 em 11:50
    Permalink

    E … mais uma página dessa triste HISTÓRIA . Muita conversa e pouca solução . Londrina sofre com isso e as pessoas que foram aqui mencionadas também . Por que acusam , prendem e depois verificam que ” não é nada disso” ? ! Absurdo sujar a honra de pessoas e não dar-lhes a devida reparação . Mas um bom advogado vai buscar a repara$$ão , Eu buscaria ! ! !

    Resposta
  • 23/02/2020, 08:20 em 08:20
    Permalink

    engraçado acho que o contribuinte e que são os bandidos….todos os caras ai sabem porque foram parar na justiça……não sei o que e pior…..

    Resposta
    • 26/02/2020, 13:04 em 13:04
      Permalink

      Caro Sr. Carvalho : eles foram parar na justiça, como o Sr. mesmo mencionou, e lá mesmo foram absolvidos. Agora, se a justiça não está fazendo o trabalho “justo” pra que serve então ?! Ela que prove que os acusados são culpados e os cobre / puna por isso. Pelo contrário, todo o episódio terminou em absolvição / soltura. Agora só falta pagarmos com nosso impostos por essa lambança.

      Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: