De super poderoso a foragido da justiça: Eike Batista é o novo alvo da Lava Jato

Da Folha de São Paulo

A Polícia Federal tenta cumprir desde o início da manhã desta quinta-feira (26) um mandado de prisão preventiva (sem data para terminar) contra o empresário Eike Batista. A ação faz parte da Operação Eficiência, segunda fase da Calicute, braço da Lava Jato do Rio. (mais…)

, , , , , , , , , , , , ,

Robô Rosie vigia gastos de parlamentares brasileiros. Alguns já estão devolvendo dinheiro

Olha que bacana. Um grupo de oito jovens criou um robô, batizada de Rosie – a empregada robô do desenho animado Os Jetsons – que monitora os gastos dos parlamentares. Rosie, através de um banco de dados, avalia se a despesa do parlamentar é justa ou foi alguma miguelagem.

Em apenas três meses trabalhando, Rosie  descobriu mais de 3.500 casos suspeitos envolvendo o uso da cota parlamentar por deputados federais desde 2011.

Rosie já encontrou, por exemplo, um pedido de reembolso de cervejas compradas por um deputado em um restaurante nos Estados Unidos, mesmo sendo proibido usar dinheiro público para comprar bebida alcoólica. (mais…)

, , , , , , , , , , , , ,

De acusado de ser funcionário fantasma a Miss Paraná, jornal O Globo detona indicados para a Itaipu

de O Globo

A Miss Paraná de 1995, Marilice Perazzoli Collin, e Marcos Vitório Stamm, acusado de ter sido funcionário fantasma no Senado, foram indicados para cargos em Itaipu – Reprodução internet e divulgação

Após fazer até propaganda apontando a “moralização das nomeações das estatais” como uma das principais medidas de sua gestão, o presidente Michel Temer loteou o comando da hidrelétrica de Itaipu entre aliados e indicou para os cargos até um advogado que já foi acusado de ter sido funcionário fantasma do Senado. A lista dos novos dirigentes foi divulgada pelo Palácio do Planalto. Itaipu é administrada em conjunto com o Paraguai.

Todos os indicados têm como padrinhos políticos paranaenses de PSDB, PMDB, PP, SD e PPS. As nomeações atendem a políticos do estado porque a sede da empresa fica em Foz do Iguaçu (PR). O novo diretor-presidente, Luiz Fernando Vianna, é atual presidente da Companhia Paranaense de Energia (Copel) e foi indicado para Itaipu pelo governador, Beto Richa (PSDB).  (mais…)

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Citado na Operação Publicano e em outros rolos, Durval Amaral é o novo presidente do Tribunal de Contas

Do G1

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), Durval Amaral, tomou posse como presidente da entidade nesta quinta-feira (12). Eleito pelos pares em 2016, ele substituiu o conselheiro Ivan Bonilha, na presidência da corte de contas.

Durval Amaral está no Tribunal de Contas desde 2012, quando foi indicado pelo governador Beto Richa (PSDB). Nesses três anos, ele já foi citado em pelo menos duas delações premiadas de operações policiais. Uma é a Operação Publicano, que investiga fraudes na Receita Estadual do Paraná e a outra é a Operação Quadro Negro, que apura desvios de dinheiro na construção de escolas estaduais.

Na Operação Publicano, o ex-auditor fiscal Luiz Antônio de Souza contou no depoimento que Durval Amaral procurou o grupo da Receita em Londrina, no norte do estado, e pediu R$200 mil para a campanha do filho, Tiago Amaral, que disputava uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná. Ainda segundo o auditor, Durval Amaral sabia que era dinheiro de propina. (leia mais)

, , , , , , , , , , , ,

Procuradoria denuncia Paulo Bernardo por organização criminosa e corrupção

do Estadão

O Ministério Público Federal, em São Paulo, denunciou o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo (Governo Lula) e mais 19 investigados. O grupo é acusado de montar uma organização criminosa no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão entre 2009 e 2015, responsável por lavagem de dinheiro e pagamento de propinas para o PT e diversos agentes públicos e privados, que superam os R$ 100 milhões. (mais…)

, , , , , , , ,

Comércio e Indústria de Londrina fecham as portas por 30 minutos para protestar contra a corrupção

, , , , ,

Auditor delator confirma que deputado Tiago Amaral recebeu 200 mil de propina

Olha a informação não é nova, mas foi confirmada ontem pelo ex-auditor fiscal malandrão Luiz Antonio de Souza, em depoimento à Justiça na Operação Publicano.

Segundo  Luiz Antonio de Souza, o deputado estadual Tiago Amaral, filho do conselheiro do Tribunal de Contas Durval Amaral, recebeu R$ 200 mil de propina para a sua campanha. A grana foi entregue dentro do prédio da Receita Estadual.

O ex-auditor afirmou que o valor arrecadado foi entregue a um assessor do deputado. Disse ainda que foi o próprio deputado que pediu a grana.

Em outro momento, Luiz Antônio disse que 90% dos auditores da Receita estão no esquema de cobrança de propina.

, , ,

Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann são citados por delator como beneficiários de propina

Gleisi e Bernardo com a presidente Dilma, a que também nunca sabe de nada

Mais um petista entra na alça de mira dos delatores mais que premiados. Agora é o ex-ministro do Planejamento do governo Lula e das Comunicações, do governo Dilma Rousseff, Paulo Bernardo da Silva.

Conforme a Folha de São Paulo, o ex-vereador petista Alexandre Romano disse em delação premiada dentro da Operação Lava Jato, que investiga corrupção na Petrobras, que dividia propinas ligadas ao Ministério do Planejamento com o ex-ministro Paulo Bernardo e com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, entre 2010 e 2012.

Os desvios no Ministério do Planejamento, desde 2010, podem ultrapassar os R$ 50 milhões.

O PT e Bernardo não quiseram falar sobre o assunto. (leia mais)

, , , , ,

Ex-mulher de José Janene diz que não sabe nada sobre a corrupção na Petrobras

Foto: Ass.Câmara

A ex-mulher do ex-deputado José Janene (PP), Stael Fernanda Janene, ouvida hoje de manhã na CPI do Petrolão, na opinião do relator Luiz Sérgio, nada acrescentou às investigações.  Ela negou ter conhecimento de participação do político nos esquemas de corrupção da Petrobras. Segundo Fernanda, o marido não comentava nada em casa e, quando ele morreu, em 2010, eles já estavam separados. Disse também que ele era obcecado pelo poder, não gostava de ostentar riqueza e controlava até a conta do verdureiro. Investigada no caso do Mensalão, Stael disse aos deputados que está com os bens bloqueados e vive com a pensão do ex-parlamentar e o fruto do seu trabalho como corretora de imóveis.

“Eu pessoalmente, nunca estive na Petrobras. Nunca vi Paulo Roberto Costa [ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, seria afilhado político de Janene]. Tudo o que sei em relação a isso, ouvi falar. Não sei se o Janene foi tudo isso em relação à Petrobras. Nunca vi isso na nossa vida”, disse.

“Não me lembro nem de ter falado por telefone [com Paulo Roberto Costa]. Nenhum diretor da Petrobras frequentou a minha casa. Não conheci nenhum, nem sei onde fica o prédio da Petrobras”, disse Stael.

Ela lembrou que, quando Janene faleceu, eles já estavam separados há um ano e dez meses. “Ele não gostou, não falava comigo. Ele ficou 44 dias internado no Incor e não fui visitá-lo, porque ele não quis. A minha relação com o Janene, depois da separação, não foi boa.”

Contas no exterior
Stael também negou ter conhecimento de contas de Janene no exterior, inclusive uma com mais de 100 milhões de euros que seria movimentada por Youssef. Ela admitiu, por outro lado, ter assinado documentos para o marido sem ler, mas não acredita que algum desses papéis se referisse a contas no exterior. (mais…)

, , , ,

Justiça acata denúncia contra 62 integrantes do esquemão de propina. Policia ainda espera a apresentação do casal foragido

A juíza substituta da 3º Vara Criminal de Londrina, Déborah Pena, acatou a denúncia do Ministério Público (MP) na Operação Publicano. O comandante em chefe da pilantragem, conforme o MP, é o ex-inspetor-geral de fiscalização da Receita Estadual Márcio de Albuquerque Lima, que teve a prisão preventiva decretada em 20 de março e está foragido há 38 dias. A mulher dele, também auditora fiscal e que estaria envolvida no esquema de cobrança de propina na Receita Estadual, Ana Paula Lima, também está desaparecida.

O casal Márcio Albuquerque de Lima  e Ana Paula de Lima, durante uma prova das 500 Milhas de Londrina. Hoje, desaparecidos
O casal Márcio Albuquerque de Lima e Ana Paula de Lima, durante uma prova das 500 Milhas de Londrina. Hoje, desaparecidos

Além do simpático casal aí em cima, outras 60 pessoas foram denunciadas.

Veja abaixo o que informa o Jornal de Londrina

Operação Publicano

As investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em Londrina começaram há cerca de 10 meses, mas, de acordo com o promotor Cláudio Esteves, avançaram muito mais nos últimos 30 dias, período em que foram decretadas as prisões preventivas. (mais…)

, , ,

Mensalão teria origem em Londrina

Da Gazeta do Povo
Segundo um ex-funcionário de Janene ouvido pela reportagem, que pediu para não ser identificado, o modo do ex-deputado operar no Congresso já era praticado em Londrina. Em 1997, no 3.º mandato de Belinati na prefeitura, Janene teria sido responsável por fazer um acordo com os vereadores para que o prefeito tivesse domínio da maioria da Casa. A “mesada”, segundo o ex-funcionário, era o equivalente a um salário de vereador. À época do mensalão, o caso chegou a ser publicado na imprensa . Belinati foi procurado para comentar o caso, mas não quis falar com a reportagem. (Leia mais)

, , , , ,