Retrocesso no combate à corrupção

da Gazeta do Povo

A ONG Transparência Internacional (TI) apresentou nesta quarta-feira (14) dois relatórios apontando retrocessos no combate à corrupção no Brasil. Os documentos foram encaminhados à Divisão Anticorrupção e ao Grupo de Trabalho Antissuborno da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e mostram um desmonte do arcabouço institucional para a luta anticorrupção, além de apontar o presidente Jair Bolsonaro como um dos responsáveis pelos retrocessos. (mais…)

, , , , , ,

Reforma Administrativa, tímida ou modernizadora?

A Reforma Administrativa, proposta pelo governo Bolsonaro avança em alguns pontos mas mantém privilégios de algumas castas de servidores como militares, magistrados, promotores, parlamentares.

Nesta entrevista com o advogado André Portugal, mestre em Direito Constitucional pela Universidade de Coimbra, ele mostra os avanços da proposta e o que poderia ser aperfeiçoado.

, , , , , , , , , ,

Bolsonaro abraçou de vez o Centrão. Mas nega

, , , , , , , , , , , ,

Moro sai e sai atirando em Bolsonaro

, , , , , , , , , ,

Moro, sempre calmo, vaselinou em alguns momentos, e deixou claro sua fidelidade

O ministro da Justiça Sérgio Moro foi o entrevistado de ontem do programa Roda Viva, da TV Cultura. Foi sabatinado por jornalistas de vários veículos.

Na média até que se saiu bem. Deixou claro que, se depender dele, continuará fiel a Bolsonaro e não vai, em hipótese alguma, contrariar o mandatário do País em público.

Mantendo sempre uma postura calma, falou sobre diversos assuntos. Em alguns espinhosos ele vaselinou, como de hábito. Por exemplo, ao ser questionado sobre o enrolado ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (Turismo), denunciado e indiciado pela Polícia Federal, se gostaria que ele fosse demitido do governo, Moro disse que há investigação em andamento e que a decisão é do presidente. Ou seja, não opinou.

Também se esquivou olimpicamente sobre o caso do chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social, Fabio Wajngarten, sócio de uma empresa que tem como clientes midias que recebem do governo, o que é contra a lei.

Disse que não tem interesse, no momento, em concorrer a cargos eletivos, mas confirmou que não assinaria um documento dizendo que nunca se candidatará.

Foi questionado ainda sobre suas atitudes quando era juiz principalmente em relação à Vaza Jato. Reafirmou que, no seu entendimento os áudios vazados não comprovam irregularidades cometidas por ele ou que tenha instruído os promotores nas ações que resultaram na prisão e condenação de diversos políticos, inclusive do ex-presidente Lula.

Comentou ainda que a relação dele com o presidente é ótima.

, , , , ,

Papo Reto… ou Torto: Toffoli, o Imperador do Brasil?

, , , , , , ,

Moro aceitou ser o “super Ministro da Justiça”

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, o juiz Sérgio Moro aceitou agora há pouco, depois de uma conversa com o presidente eleito Jair Bolsonaro, ser o novo ministro da Justiça. (mais…)

, , ,

Bolsonaro x Haddad, mais uma decisão entre Coritiba e Bangu

Dias atrás li no twitter que a campanha eleitoral para a presidência este ano parece aquela final do Brasileirão de 1985 no Maracanã entre os inesperados Bangu e Coritiba. Ninguém sabe como eles chegaram lá, mas fizeram a final.

Com alguma diferença, os dois candidatos à presidência da República, Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, repetem essa disputa.

Há um ano ninguém sequer imaginaria uma decisão dessas.

Motivos não faltam. (mais…)

, , , , , ,

Bolsonaro entra na disputa para ser a “Alma Política mais honesta do Pais”

E Jair Bolsonaro – que também, ora bolas, enriqueceu com a política – entra em campo para disputar com Lula o título de “Alma Política mais honesta do Pais” 2018… até que apareça por aí outro Mito da honestidade né.

, , , , , , , , , , ,

2018 está aí. Você já adquiriu seu próprio partido?

montagem site Opinião Brasil

Talvez a Reforma Política avance neste quesito, mas, por enquanto, ainda é moda adquirir partidos por preços módicos – nem sempre é o dinheiro que movimenta isso – para fins particulares. (mais…)

, , , , , , ,