Mário Frias, mordomia coletiva

Já dizia um velho amigo que só não gosta de mordomia quem nunca teve.

O secretário especial de Cultura, Mario Frias, que sempre que pode desce a ripa nas mordomias que a Lei Rouanet proporciona para alguns artistas milionários, recentemente foi aos Estados Unidos em viagem da qual pediu reembolso e está sendo investigado por mau uso de dinheiro público.

E, recentemente, como informa o site Metropoles, emplacou o cunhado em um cargo de confiança na Embratur. Além de irmão, o advogado Christiano Camatti é sócio de Juliana Camatti, mulher de Frias.

Desde o fim do ano passado, Christiano Camatti recebe um salário de R$ 18,4 mil como coordenador de Infraestrutura do órgão ligado ao Ministério do Turismo, pasta a que Frias também é subordinado.

Leia Também

Amor e Poesias

O professor e economista Aparecido Guergolette lançou, dias atrás durante um evento no Sesc de...

Ouça a coluna do Professor Walace Soares: Eleições, democracia, voto de cabresto e coronelismo

Novo Trisal Brasileiro

Comente!

guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Marques
Carlos Marques
3 meses atrás

E esse aí não gosta de curtir mordomia sozinho. Mário Frias foi se encontrar com um intelectual neonazista em Nova York acompanhado de seu assessor Hélio Ferraz. A conta para os brasileiros ficou em R$ 78.000,00: apenas 39.000,00 por cada (sic) um.