Cid Gomes tenta invadir quartel com trator e é atingido por dois tiros

O senador e ex-ministro Cid Gomes (PDT) foi atingido por por dois tiros enquanto protestava contra a greve de agentes da Polícia Militar em Sobral, no Ceará. Cid, que é ex-governador e ligado ao atual mandatário Camilo Santana (PT), havia convocado a população pelas redes sociais para se levantarem contra a paralisação.

A prefeitura de Sobral informou que o senador foi atingido por munição de uma pistola calibre .40.

Ele investiu com uma retroescavadeira contra o prédio onde os policiais estão aquartelados, quando foi alvejado pelos tiros. Segundo boletim médico do Hospital do Coração de Sobral, onde o político, irmão do presidenciável Ciro Gomes (PDT), foi atendido, ele não sofreu alterações cardíacas ou neurológicas e respira sem ajuda de aparelhos. No final da tarde, o ministro da Justiça, Sergio Moro, anunciou que enviará a Força Nacional para o local.

5 comentários em “Cid Gomes tenta invadir quartel com trator e é atingido por dois tiros

  • 20/02/2020, 11:25 em 11:25
    Permalink

    Não sei se o irmão do Ciro Gomes é muito corajoso ou muito maluco para enfrentar aquele bando de milicianos que se dizem policiais militares. Imaginem do que são capazes aqueles policiais encapuzados. Se atiram num senador, não é difícil imaginar o que podem fazer quando encontram um suspeito pobre e preto.

    Resposta
  • 20/02/2020, 11:34 em 11:34
    Permalink

    Quem poderia imaginar que policiais armados responderiam dessa forma a alguém tentando passar por cima deles e de seus familiares com uma retroescavadeira? Que coisa absurda né????

    Resposta
    • 20/02/2020, 20:06 em 20:06
      Permalink

      Coisas absurdas mas com final bem previsível. Policiais militares promovendo motim e intimidando comerciantes a fecharem suas empresas. E sob o comando de um vereador bolsonarista. Óbvio que policial militar sabe que é ilegal “fazer greve” (na verdade, motim) e um policial militar que não respeita as leis deve ser demitido. Por outro lado, um senador autoritário e sem o bom senso que todo parlamentar deve ter. Agir como o senador agiu é uma temeridade. Principalmente porque dentro do quartel havia homens com o rosto coberto. Poderiam ser policiais fugindo de suas obrigações legais anonimamente, poderiam ser criminosos comuns associados a mal policiais. Por isso o resultado não podia ser diferente. Desta vez o senador levou o pior. Também poderia ter sido o contrário. De qualquer forma, a sociedade, se não quiser alimentar milicianos que amanhã irão aterrorizá-la, no mínimo o vereador bolsonarista que comandou o motim deveria ser cassado e passar um bom tempo em cana.

      Resposta
  • 20/02/2020, 12:52 em 12:52
    Permalink

    Se o clã dos Coronéis Gomes descobrir quem foi o autor do disparo, pode ter certeza que logo depois teremos a notícia de que a família inteira dele cometeu suicídio com tiros na nuca.

    Resposta
  • 20/02/2020, 23:26 em 23:26
    Permalink

    A coragem do senador Cid Gomes surtiu efeito. Os milicianos travestidos de policiais militares desocuparam o quartel e fugiram para as suas tocas.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: