GAECO investiga policial de Cambé acusado de peculato

do MP.PR

O Ministério Público do Paraná, por meio do Núcleo de Londrina do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e a Corregedoria da Polícia Civil cumpriram nesta segunda-feira, 17 de junho, mandado de busca e apreensão contra policial civil lotado na Delegacia de Polícia de Cambé, em investigação que apura a prática do crime de peculato. Conforme as apurações, há indícios de que o agente público e seus familiares teriam se apropriado de um veículo que deveria estar apreendido na unidade policial.

Conforme as investigações, o carro, que teria sido usado em crime de roubo e apreendido no ano de 2009 na Delegacia de Polícia de Cambé, passou a ser utilizado indevidamente pelo policial investigado e seus familiares, existindo registros do uso ilegal do veículo em boletim de ocorrência, denúncias e consultas nos sistemas policiais. A Delegacia de Polícia confirmou que o carro, que deveria estar apreendido, não está sob sua custódia e que não há informações sobre sua localização. Também não há autorização judicial para uso do veículo em questão.

As ordens judiciais foram expedidas pelo Juízo Criminal de Cambé, a pedido do Gaeco. A busca teve como objetivo a apreensão de aparelhos celulares dos investigados, documentos e outras provas que possam demonstrar o crime. O peculato é caracterizado pela subtração ou desvio em benefício próprio ou de outros de recursos e/ou bens por parte de servidor público.

Compartilhe
Leia Também
Comente

Um comentário

  1. Grana

    “Temos pilhas com quatro carros empilhados, que foram sendo depositados por décadas.

    Em 2022, a Instrução Normativa Conjunta 133, proposta pela Polícia Civil, pelo Poder Judiciário, pelo Ministério Público e pelo Detran,

    estabeleceu que qualquer veículo apreendido pelo Poder Judiciário tem 30 dias para ser restituído, se o proprietário for identificado, para ser cedido para uso provisório da instituição que o apreendeu ou para ir para o processo de alienação antecipada, que é a venda do automóvel.

    Apesar de existir a Legislação, o delegado-chefe pontua que essa é uma normativa recente e, por isso, não tem sido aplicada como deveria.

    Em maio deste ano, porém, a Divisão de Infraestrutura da Polícia Civil cobrou o cumprimento das determinações e, a partir do envio de um ofício, as delegacias de todo o Paraná que têm veículos apreendidos têm 60 dias para enviar o número oficial de automóveis em cada pátio.

    https://www.bonde.com.br/bondenews/policia/suspeito-de-ter-iniciado-incendio-no-patio-de-veiculo-da-policia-civil-em-londrina-e-identificado-e-qualificado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios