Petistas e Bolsonaristas em dia de festa: Deltan Dellagnol deixa Força Tarefa da Lava Jato

do G1

Coordenador da Operação Lava Jato em Curitiba, o procurador da República Deltan Dallagnol vai deixar a força-tarefa, informou o Ministério Público Federal (MPF) nesta terça-feira (1º).

Em um vídeo postado na internet, Deltan Dallagnol disse que a filha, de 1 ano e 10 meses, apresentou sinais de regressão no desenvolvimento e que, por isso, precisaria dedicar mais tempo a ela.

“Depois de anos de dedicação intensa à Lava Jato, eu acredito que agora é hora de me dedicar de modo especial pra minha família.”, afirmou Deltan.

Conforme o MPF, o procurador da República no Paraná Alessandro José Fernandes de Oliveira deve assumir as funções de Deltan Dallganol.

Deltan Dallagnol assinou diversas denúncias da Operação Lava Jato contra empresários e políticos. Entre essas denúncias, estão as contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Segundo o MPF, 543 pessoas foram denunciadas em 217 acusações criminais apresentadas pela força-tarefa liderada por Dallagnol. 166 pessoas acabaram condenadas pela Justiça nestes processos.

Deltan Dallagnol em palestra no VII Congresso de Direito Constitucional, em Santo André — Foto: Danilo M. Yoshioka/Futura Press/Estadão Conteúdo

Dallagnol afirmou que, apesar de deixar a força-tarefa, ele continua trabalhando como procurador no MPF.

“Eu vou continuar trabalhando como procurador da República, mas aquelas horas extras que eu investi em noites, finais de semana e feriados, eu vou precisar agora focar na minha família”, afirmou.

Força-tarefa

A estrutura da força-tarefa da Lava Jato no Paraná foi criada em abril de 2014, um mês após a primeira operação ter sido deflagrada. Desde então, segundo o documento enviado à Procuradoria-Geral da República (PGR), os trabalhos foram renovados sete vezes – o prazo atual termina em 10 de setembro.

Alessandro José Fernandes de Oliveira, substituto de Dallagnol à frente da força-tarefa em Curitiba, afirmou que vai “trabalhar pela prorrogação com todos os atuais componentes”.

Em julho, houve atrito entre a força-tarefa e o procurador-geral da República, Augusto Aras, que disse ser necessário “corrigir os rumos” para que “lavajatismo não perdure”.

8 thoughts on “Petistas e Bolsonaristas em dia de festa: Deltan Dellagnol deixa Força Tarefa da Lava Jato

  • 01/09/2020, 16:29 em 16:29
    Permalink

    Será que um dia o orgulho bolso olavista e o orgulho esquerdista vão se encontrar e assumir que são a mesma coisa: eleitor para enganar e contribuinte para esfolar?

    Resposta
  • 01/09/2020, 18:08 em 18:08
    Permalink

    Antes de tudo, a saída do Dallagnol da “coordenação” da lava jato não tem qualquer influência petista. Mas petistas, juristas respeitados e democratas de todos os matizes há muito tempo não aceitam o modus operandi do investidor de imóveis do Minha Casa Minha Vida que sempre agiu como um diácono punitivista querendo moldar a lei secular aos preceitos de sua seita religiosa. Mas quem está triste são os tucanos (como aquele que não vinha ao caso) e a patota do senador honestão Álvaro Dias. E quem deve estar dando gostosas gargalhadas com as justificativas piedosas do $pro$cu$ra$dor$ Dallagnol é o doleiro dos doleiros, o megadoleiro Dario Messer. Afinal de contas, Messer acabou de confessar à lava jato do RJ ter cometido crime pelo qual foi absolvido pela lava jato paranaense… e com a recomendação dos procuradores santarrões de Curitiba. E esse episódio com certeza vai render um bom livro…

    Resposta
  • 01/09/2020, 19:08 em 19:08
    Permalink

    Quá! Quá! Quá! As palavras do procurador Deltan são palavras de candidato em 2022. Deltan não passa de um político fanfarrão que vende bem (aliás, muito bem!) seu bom-mocismo, sua honestidade sem igual… Me poupe. A turma do Bolsonaro te ferrou, camarada! Já está sentindo saudades do auxílio-moradia que engordava o gordo salário de procurador? Está com saudades da palestras regiamente remuneradas por quem tem muito dinheiro? Pra uma palestra organizada por empresa citada na Lava Jato, mr. Deltan faturou apenas R$ 33 mil! Em três anos, o santo dos santos engordou seus gordos salários de procurador com R$ 580 mil! Será que a direita do Bolsonaro vai ser agradecida ao chefinho da Lava Jato e deixá-lo se eleger senador em 2022. Afinal de contas, o santo procurador merece ou não merece um salário melhor do que o salário de procurador?

    Resposta
  • 01/09/2020, 19:37 em 19:37
    Permalink

    Foi assim, ou sai ou MORRE. A que ponto chegamos neste País. É o pior, o povo esta anestesiado, deixando o barco andar e os corruptos sobreviverem livres, leves e soltinhos da Silva. Qdo o povo acordar, o Brasil será uma nova Venezuela. Viva BOLSONARO.

    Resposta
  • 01/09/2020, 19:42 em 19:42
    Permalink

    Aliás, o cara-de-pau já esclareceu o depósito de 89 mil reais na conta da cândida primeira-trambiqueira, quer dizer, primeira-trama, desculpa, primeira-dama ?????????????????????????????????????????????????????????????????kkkkkkkkkkkk

    Resposta
    • 01/09/2020, 23:30 em 23:30
      Permalink

      Essa mistura de padre, pastor, procurador, juiz com político brasileiro, nunca foi uma coisa correta, tornou-se um ambiente propício para a corrupção. A lava jato se tornou vaza jato.

      Resposta
  • 02/09/2020, 00:12 em 00:12
    Permalink

    A turma do Bolsonaro está fazendo picadinho da dupla Moro & Dallagnol. Os dois “juristas” da Lava Jato, verdadeiros padrinhos da eleição de Bolsonaro, agora estão com o futuro nas mãos da Globo. É o que sobrou para os três golpistas. Aliás, Moro & Dallagnol devem andar bem chateadinhos. Com certeza os dois comemoraram quatro anos atrás o processo aberto em Brasília contra o Lula sob a acusação de que recebeu propinas por obras feitas pela Odebrecht na África. Esta semana o TRF da 1ª Região trancou essa ação por completa falta de provas. E a absolvição do ex-tesoureiro do PT, Paulo Ferreira, pelo TRF-4, que foi condenado pelo ex-ministro do Bolsonaro, Moro, por lavagem de dinheiro e associação criminosa? A condenação era tão absurda que nem o lavajatista TRF-4 manteve ela. Moro e Dallagnol deveriam indenizar o ex-tesoureiro petista pelos seis meses que passou preso, ou melhor, deveriam eles mesmos ficarem presos durante seis meses.

    Resposta
  • 09/09/2020, 21:31 em 21:31
    Permalink

    Jesus Cristo! Que inversão de valores!

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: