1º caso suspeito de Coronavirus em Londrina

doN.Com

Londrina registrou seu primeiro caso suspeito de contágio pelo Novo Coronavírus (COVID-19). A paciente, uma mulher de 28 anos que retornou há dez dias da Alemanha, foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Sabará na tarde de domingo (1º), e posteriormente encaminhada ao Hospital Universitário de Londrina (HU). As informações sobre este caso foram divulgadas em coletiva realizada nesta segunda-feira (2), pelas autoridades estaduais e municipaisda Saúde.

Foto: Emerson Dias

O secretário de Saúde, Felippe Machado, frisou que a população precisa aderir a todas as medidas preventivas para doenças comuns, como a gripe e outras infecções respiratórias: lavar bem as mãos, proteger nariz e boca ao tossir ou espirrar, evitar locais com aglomeração e manter os ambientes bem ventilados. “O coronavírus é mais uma infecção viral e respiratória, e não há motivo para pânico pelos londrinenses. Nossos serviços de saúde estão prontos para seguir os protocolos vigentes, incluindo isolamento, se necessário, e com materiais de proteção individual aos profissionais de saúde. Não há necessidade de uma orientação diferente dos cuidados básicos que devem ser tomados todos os anos, principalmente no inverno”, destacou.

Foto : Emerson Dias

A diretora superintendente do HU de Londrina, Vivian Biazon El Reda Feijó, explicou que o hospital é referência em Londrina para internações que venham a ser provocadas pelo Novo Coronavírus, bem como de outras infecções graves. “O HU possui em seu histórico a expertise de se preparar para atender doenças endêmicas, incluindo equipe especializada que sedimentou um protocolo e treinou todas as equipes, desde área de apoio até o atendimento médico. Essa jovem foi atendida primeiro na UPA, chegou pela madrugada no HU, foi prontamente atendida dentro do protocolo, hoje pela manhã retornou para coleta do exame e, dentro de três a cinco dias, deve sair a confirmação ou não de coronavírus”, informou.

Foto : Emerson Dias

Na coletiva, a diretora da 17ª Regional de Saúde, Maria Lucia Lopes, citou que a atuação do governo do Estado abrange a coordenação dos protocolos, educação permanentes de gestores e trabalhadores da saúde. “E não há motivo para pânico neste momento. Os dois hospitais estaduais em Londrina, na zona norte e zona sul, já possuem um plano de contingenciamento. Sabemos que a grande maioria das pessoas com coronavírus vai passar por esse processo como uma gripe comum, somente cerca de 8% desses pacientes devem precisar de internação hospitalar e, se não houver necessidade de UTI, elas serão acolhidas e cuidadas nestas unidades”, antecipou.

Dentre os mais de 20 municípios que integram a área de abrangência da 17ª Regional, este é o único caso suspeito de coronavírus. “A expectativa é que o Ministério da Saúde antecipe a vacinação contra influenza para o mês de março, abrindo inicialmente para idosos, gestantes e trabalhadores em saúde. Depois, será ampliado o público-alvo, como nos anos anteriores. Essa medida de antecipar a vacinação é para proteger as pessoas, e evitar confusões de diagnóstico entre o vírus da gripe e o Novo Coronavírus”, citou a diretora.

Além do isolamento domiciliar do caso suspeito, e que inclui os moradores que residem com a paciente, a equipe de epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde está fazendo a busca ativa de usuários que estavam na UPA no mesmo período em que a paciente suspeita de coronavírus. O objetivo dessa medida é orientar os usuários para caso manifestem algum sintoma da doença pelos próximos catorze dias.

Foto: Emerson Dias

A infectopediatra da SMS, Simone Narciso, explicou que o novo Coronavírus exige os mesmos cuidados preventivos e de assistência que outras infecções respiratórias, como a influenza. No entanto, ainda não possui tratamento específico, apenas sintomático, tampouco vacinação. “O caso suspeito deve utilizar máscara comum, trocada a cada quatro horas, e sempre higienizar bem as mãos. É recomendado também que não partilhe objetos como copo ou talheres e utilize o álcool gel. Quem tiver os sintomas gerais do coronavírus e o histórico de viagem, pode solicitar atendimento em qualquer unidade de saúde, pública ou privada, informar sua condição e evitar o contato com outras pessoas”, frisou.

Protocolo – Até o momento, o Brasil possui somente dois casos confirmados de coronavírus. De acordo com a recomendação do Ministério da Saúde, para ser classificado como caso suspeito de infecção pelo novo Coronavírus, o paciente deve apresentar febre juntamente com demais sintomas similares à gripe, como coriza, dor no corpo, dor de garganta e outros. Além disso, há o critério epidemiológico: ter passado, nos últimos 14 dias, por países onde há casos confirmados da doença, ou ter tido contato com alguém que esteve nesses países.

Em Londrina, a coleta do exame que identifica se o caso é positivo ou não para Coronavírus é feita pelo HU. Porém, todas as unidades de Saúde do município são aptas a atender primariamente o paciente com suspeita de doença. A orientação é que, se o paciente se enquadrar em todos estes critérios, comunique logo na recepção para que seja fornecida a ele uma máscara, protegendo outras pessoas de um possível contágio.

2 thoughts on “1º caso suspeito de Coronavirus em Londrina

  • 03/03/2020, 07:37 em 07:37
    Permalink

    Londrina está preparada pra corona vírus? Não ta dando conta nem de atender casos de dengue que esta virando praga!

    Resposta
  • 03/03/2020, 12:24 em 12:24
    Permalink

    Já não bastasse a dengue, agora temos o coronavírus. O sistema municipal de saúde de Londrina já está em colapso por causa da dengue e se o coronavírus começar a se espalhar por aqui, o caos vai se instalar nas UBSs e UPAs da cidade. Falando da dengue, quantas pessoas mais vão ter que morrer para a população de Londrina começar a se conscientizar? Quando o povo de Londrina vai acordar em relação a dengue? Essa semana, conversando com uma agente de endemias que veio vistoriar o meu quintal, ela me contou que um vizinho próximo que já tinha sido advertido por ter focos do Aedes no quintal dele, em nova visita umas semanas depois, a situação continuva a mesma. É revoltante o descaso de certos indivíduos com relação a dengue.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: