Assessor da Casa Civil do governo Richa recebeu 2 milhões

do Estadão

O assessor da Casa Civil do governo Beto Richa (PSDB), no Paraná, Carlos Felisberto Nasser, alvo de buscas e apreensão nesta quinta-feira, 22, na 48.ª fase da Operação Lava Jato, disse que sua empresa Power Marketing Assessoria e Planejamento “nunca esteve atividade, nem recebeu valores expressivos”. A força-tarefa, do Ministério Público Federal, Polícia Federal e Receita, identificaram R$ 2,2 milhões depositados nas contas da empresa entre 2007 e 2015, pela Rio Itibagi, do Grupo Triunfo, braço operacional da Econorte. Foram feitas buscas na mesa do assessor, no Palácio Iguaçu.

A Operação Integração, primeira fase da Lava Jato de Curitiba em 2018, tem como alvo esquema de corrupção e lavagem de concessionárias de rodovias federaisentre elas a Econorte, do Grupo Triunfo, a agentes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) do Paraná e da Casa Civil do governo do Estado do Paraná. (leia mais)

Deixe uma resposta