E o presidente da Fiep, Edson Campagnolo, usa a máxima: “no dos outros é refresco”

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná, Edson Campagnolo, concedeu uma entrevista coletiva falando do apoio da entidade que representa as indústrias do Paraná, ao apoio contra a corrupção e pelo impeachment. “Mais de seis milhões de pessoas foram às ruas protestar contra o governo e a corrupção. Ao invés da presidente Dilma nos ouvir, ela vem com uma menida como esta (nomeou Lula). A população se sente traída”.

Então vamos relembrar que Campagnolo fez de tudo para ser vice na chapa de Gleisi Hoffmann ao governo do Paraná em 2014.

Mais ainda, quando foi eleito presidente da Fiep pela primeira vez, fez um acordo com os líderes dos sindicatos empresariais do Paraná de que não concorreria à reeleição – inclusive dizendo isso nos principais veículos de comunicação do Paraná. Pois bem. Ele não só desdisse o que disse, articulando a própria reeleição, como ampliou a própria mordomia – que já era grande – no comando da Fiep, comprando até um veículo Volvo, daqueles que custam os olhos da cara, para uso seu exclusivo, principalmente nos finais de semana.

Campagnolo entende bem sobre gente que se sente traída.

 

Deixe uma resposta