Então tá né vereadora: Lenir diz que prisão de Paulo Bernardo é “cala boca” a Gleisi

Ontem a vereadora de Londrina Lenir de Assis (PT), em discurso na Câmara, lamentou a prisão do colega do partido, Paulo Bernardo. Ela disse que esta é uma forma de pressionar e tentar calar a senadora Gleisi, que é a principal defensora da presidente Dilma Rousseff.

Para recordar à vereadora Lenir: Paulo Bernardo já havia sido sido citado em rolos quando dos escândalos da administração Belinati – ver Lista do Zavierucha. Depois foi Secretário o Governo Zeca do PT, no Mato Grosso do Sul. Citado algumas vezes na Lava Jato, agora é acusado, e com provas bem consistentes, de participar de um esquema que retirava dinheiro dos empréstimos consignados dos servidores públicos.

Cara vereadora, talvez a defesa deveria ter sido aos servidores que tiveram reais tungados de sua conta.

 

3 thoughts on “Então tá né vereadora: Lenir diz que prisão de Paulo Bernardo é “cala boca” a Gleisi

  • 24/06/2016, 13:03 em 13:03
    Permalink

    Lenir perdeu oportunidade de ficar quieta igual fez o Enio Verri e demais companheiros do PT do PR.

    Lenir, pra ficar legal vai lá fazer uma visita pra ele.

    Resposta
  • 24/06/2016, 13:57 em 13:57
    Permalink

    Os servidores do governo paranaense pagam uma taxa muito maior do que a paga pelos que contraem empréstimos consignados utilizando os serviços da Consist no plano federal. Ainda assim os beneficiários dos empréstimos consignados pagam juros e taxas muito muito menores do que os cobrados pelas financeiras. Assim o empréstimo consignado é uma das melhores medidas tomadas pelo governo Lula. Mas a vereadora Lenir está corretíssima na sua avaliação. Tanto que ninguém do governo de São Paulo e do Paraná até hoje foi chamado pela justiça nem mesmo para dar informações sobre contratos desses estados com empresas de informática que são semelhantes aos contratos feitos em âmbito federal.

    Resposta
  • 26/06/2016, 23:47 em 23:47
    Permalink

    E a típica reação de quadrilha, marca exclusiva do PT. Um querendo amenizar e defender o erro do outro.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: