Lembra do prédio da Equipe Distribuidora de Medicamentos?

Ele foi comprado da massa falida pela UEL no fim do governo Roberto Requião, em 2009, e até hoje não foi usado a contento, bem ali na rodovia PR 445 quase esquina com a rodovia Mabio Palhano.
Como adiantamos a Secretaria de Estado da Saúde solicitou para a Reitoria que fosse cedido para o governo estadual implantar toda a estrutura da sua Regional de Saúde em Londrina.
E não é que andou?

A passos de lesma com medo de sal, mas andou.
O reitor Sergio Carvalho que comemorou a venda da folha de pagamento para o Banco do Brasil e com isso o pagamento de 12 milhões de ações judiciais trabalhistas perdidas ainda não sabe quando vai assinar (e se vai assinar) o acordo de cessão, já que ele deseja também uma compensação em obras feitas pelo governo do Paraná que paga o orçamento de 1 bilhão de reais por ano da universidade mantida pelos impostos estaduais.
Daí a contradição: compra com dinheiro do contribuinte um imóvel que não usa há 12 anos e não consegue dar destinação a ele. E ainda por cima quando o mesmo contribuinte, através do gestor estadual, quer reformar o prédio inútil e dar a ele um fim digno, o reitor e sua equipe não consegue decidir.
Aliás que tal o Tribunal de Contas do Estado do Paraná e o Ministério Público Estadual investigar a compra, a pequena reforma e o destino final deste prédio. Com a palavra os senhores togados.

5 thoughts on “Lembra do prédio da Equipe Distribuidora de Medicamentos?

  • 02/02/2021, 17:57 em 17:57
    Permalink

    12 anos de inutilidade e muito bem informado: por que o TCE não investigou até agora esta compra e os arremedos de conversão de uso. Para cima deles Renato Lima Castro.

    Resposta
  • 02/02/2021, 19:27 em 19:27
    Permalink

    Vergonhoso. O Ministério Público deveria convocar todos gestores (ruins ai) para explicar essa situação. Comprou do privado por qto? Não deu uso pq? Qual justificativa pela compra na época?

    Resposta
  • 03/02/2021, 08:14 em 08:14
    Permalink

    Concordo. Onde anda os promotores de Londrina? A UEL, seus docentes e funcionários cobram muito do Estado. Mas, onde está reciprocidade.

    Resposta
  • 03/02/2021, 10:03 em 10:03
    Permalink

    Isso mesmo. Renato, xerife de Londrina, investigue isso urgente.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: