“O Último Bastião do Petismo”, continua em pé

E enquanto o governo Michel Temer vai enfrentando temas espinhosos Brasil afora, lá em Foz do Iguaçu o petista Jorge Samek vai se fingindo de morto para permanecer no cargo.

Comandando o Brasil há cinco meses, ninguém ainda entendeu porque Temer mantém no cargo o Samek, amigaço de Lula, daqueles de fumar charuto cubano juntos, na presidência da Itaipu Binacional.

Tudo bem que alguns dos nomes que foram indicados a ele para substituir Samek, não são lá um grande avanço: o DEM ofereceu Abelardo Lupion; o PMDB, Rodrigo Rocha Loures e até o glorioso e impoluto Roberto Requião de Mello e Silva – o da Carta de Puebla, desde que seja no dos outros – indicou o próprio filho, que deve entender tudo de energia e do segmento elétrico, para ocupar o cargo de Samek.

Até o jornal paraguaio ABC Color faz uma onda com o último bastião petista no governo Temer”.

Deixe uma resposta