Vargas se mantém calado. Moro manda soltar irmão de Zé Dirceu

E o ex-deputado André Vargas, falante quando estava na Câmara Federal, hoje manteve-se calado diante do juiz Sérgio Moro, na Justiça Federal em Curitiba. Moro conduz as investigações da Operação Lava a Jato. O irmão do ex-deputado, Leon Vargas também ficou calado. Depois de nada dizerem, voltaram  ao Complexo Penal de Pinhais. Eles são acusados de fazer um três cantos com a verba publicitária da Caixa.

Moro mandou soltar o irmão do ex-ministro José Dirceu (Casa Civil/Governo Lula), Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, do braço direito de Dirceu, Roberto Marques, e do dirigente da empresa Consist, Pablo Alejandro Kipersmit. O magistrado impôs cinco medidas cautelares aos três.

As regras são: a proibição de deixar o País; a proibição de mudar de endereço sem autorização deste Juízo; obrigação de entregar o passaporte brasileiro e estrangeiro no prazo de cinco dias; a obrigação de comparecer a todos os atos do processo, da ação penal ou da investigação preliminar, quando chamado, inclusive mediante intimação por qualquer meio, inclusive telefone; e a proibição de comunicação e contato com outros investigados na assim denominada Lava Jato ou com testemunhas de acusação do caso, incluindo colaboradores como Milton Pascowitch.

Deixe uma resposta