Vereadores têm pé atrás com a duplicação da PR-445

???????????????????????????????Há pouco tempo o prefeito Alexandre Kireeff teve a ideia de assumir a duplicação da PR-445, entre Londrina e Mauá da Serra. Mas a maioria dos vereadores não gostou muito dessa ideia. Oito vereadores são a favor da proposta, 11 são contra. O prefeito quer emprestar R$ 221 milhões, para cobrir custos de pedágio, que seria administrado por uma empresa pública. O período de concessão do trecho seria de 25 anos, com valor aproximado de R$ 5,60.

Hoje de manhã, em entrevista à rádio CBN, apresentado pela jornalista Raquel Rodrigues, explicou que para a duplicação da PR 445, o dinheiro não sairia do caixa normal da prefeitura, por isso não interferiria nos trabalhos normais e obras em andamento.

“Olha, é inaceitável que a segunda cidade do Paraná, com uma população de mais de meio milhão de habitantes, em uma região metropolitana com mais de 1 milhão de habitantes, seja ligada à capital por uma rodovia simples. Muita gente morre todos os anos nesta rodovia. É um absurdo. É bom esclarecer que não é o caixa da prefeitura que pagará pela duplicação e sim os usuários da rodovia, através do pedágio”, disse o prefeito.

Um comentário em “Vereadores têm pé atrás com a duplicação da PR-445

  • 06/04/2015, 13:38 em 13:38
    Permalink

    Kiref, é inaceitavél que uma cidade de 500 mil almas, tenha um monte de buracos, ruas sem sinalização, videos vigias desativados, enfim e um rosario de pepinos, primeiro faça o dever de casa, depois pense em ajudar o BETO PRIMO.

    Resposta
  • 06/04/2015, 20:24 em 20:24
    Permalink

    Essa proposta não passa de um besteirol que cabe perfeitamente em alguma rede social da internet. O prefeito, no exercício de seu mandato, não é pedageiro e a prefeitura não é empreiteira. Será que um pedageiro ou um empreiteiro real não está por trás da proposta do KKKireeff? E o preço de R$ 5,60 é um acinte. Quem chegou a esse valor? Ele foi calculados por funcionários da prefeitura? Então que o prefeito publique esse trabalho. Se for pra cobrar, que o governo estadual faça uma licitação. Aposto que não passará de R$ 3,00 se empresas internacionais participarem dessa licitação. Aliás por que o Beto Primo Richa já não fez essa licitação? Por que tá todo mundo de olho e não dá fazer uma licitação com cartas marcadas?

    Resposta
  • 07/04/2015, 00:05 em 00:05
    Permalink

    Excelente ideia. Alguém precisa tomar uma providência e o prefeito de Londrina, como líder de uma cidade de mais de meio milhão de habitantes, tem a obrigação de lançar ideias para debate. Imaginem se lá atrás, entre 1998 e 2000, o prefeito da época, em vez de consumir os 180 milhões da Sercomtel, sabe lá com o quê, tivesse tido essa ideia e aplicado o valor na obra de duplicação da PR 445? Esse problema estaria resolvido há 15 anos e Londrina teria uma fonte de renda com o pedágio da rodovia. Em valores de hoje, o dinheiro que sumiu da Sercomtel daria mais de 600 milhões. A história de Londrina seria outra, com mais progresso. Parabéns pela iniciativa, prefeito Kireeff. Isso se chama visão de futuro. O resto é chororô das viúvas e dos filhotes do Belinati.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: