900 em Londrina andam de tornozeleira eletrônica

Em Londrina perto de 900 pessoas estão circulando com a famosa “pulseira de perna”. São as famosas tornozeleiras que a Justiça disponibiliza para cidadãos cuja periculosidade é considerada menor.

Tem desde auditores fiscais, batedores de carteira a fujões das pensões alimentícias.

Então, camarada/companheiro, se o calor é de 40 graus e o cara está de calça comprida no domingo, é porque o estilo determina.

, , , , , , , ,

Richa manda abrir uma investigação por abuso de autoridade contra os policiais que prenderam o palhaço

Mais uma bronca pro governo do Paraná que não tinha a menor necessidade de acontecer. Na sexta-feira policiais do Batalhão de Choque prenderam um palhaço que se apresentava numa praça de Cascavel, durante um festival de teatro infantil. O crime do palhaço foi dizer que a PM “só protege burguês e o Beto Richa”.

Pronto, foi a deixa para que os policiais acabassem com a apresentação e detivessem o “perigoso palhaço”.

Hoje de manhã o governador Beto Richa determinou que o comando da PM de Cascavel instaure uma investigação por abuso de autoridade. “Os caras fazem uma bobagem lá em Cascavel e estoura aqui no nosso colo”, disse hoje um secretário de Richa, daqueles que mandam. “A Dilma é alvo de piada o tempo todo e não reclama. É inadmissível a PM prender um palhaço porque fez críticas. Temos que preservar a liberdade de expressão a qualquer custo”, disse ele.

, , , , ,

Manifestantes e Polícia Militar entram em confronto na madrugada próximo à Assembleia

Da BandaB/Curitiba

Um confronto por volta da 1h50 desta terça-feira (28) marcou a madrugada no Centro Cívico. De acordo com a versão dos professores, que permaneceram em vigília ao lado dos policiais militares que continuam cercado o prédio da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), alguns servidores foram arrastados e houve confusão e gritaria. A PM ainda não se manifestou sobre o confronto, que aconteceu no momento em que os manifestantes foram retirados, assim como os carros de som.

Os professores dizem que os dois carros de som do movimento foram guinchados e ninguém sabe onde estão. “Estava em casa descansando enquanto um grupo nosso permaneceu em vigília no Centro Cívico. Recebi então uma ligação dizendo que nossos servidores estavam sendo arrastados pelo Batalhão de Choque. Os dois caminhões de som que contratamos foram levados pela PM, sem explicação. Nunca vimos isso em um estado democrático de direito. Isso parece que voltamos à ditadura”, diz um dos dirigentes da APP, Luiz Fernando Rodrigues. “Usaram gás de pimenta para afastar os manifestantes”. (leia mais)

, , ,